Cassilândia, Domingo, 22 de Janeiro de 2017

Últimas Notícias

03/09/2004 08:57

TST decide quantos trabalham durante greve dos Correios

Iolando Lourenço/ABr

Brasília – O presidente do Tribunal Superior do Trabalho (TST), Vantuil Abdala, decide hoje o número mínimo de funcionários dos Correios que devem continuar trabalhando no período da greve para não prejudicar o serviço e a população.

O ministro informou que está trabalhando para dar celeridade à apreciação do assunto, assim como na questão do dissídio coletivo. O presidente do TST disse que marcará audiência de conciliação entre empregadores e servidores para a próxima quarta-feira (9). “Se não houver acordo, vamos marcar o julgamento do dissídio coletivo para sexta-feira da semana que vem”.

A Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos (ECT) ajuizou no TST, no fim da tarde de ontem, dissídio coletivo contra a paralisação deflagrada pelos seus empregados. O objetivo da empresa é suspender imediatamente a greve. A questão está sendo examinada pelo presidente do TST, que manifestou preocupação em buscar uma solução rápida para o impasse.

De acordo com o pedido formulado no dissídio coletivo, a empresa pretende a suspensão imediata da greve ou, alternativamente, o "retorno da quantidade adequada de empregados em cada uma das unidades operacionais da ECT que permita a prestação de serviços inadiáveis, abrangendo o recebimento, tratamento, transporte e distribuição de objetos por parte dos Correios".

Durante reunião, ontem à noite, com o deputado João Paulo Cunha, Vantuil Abdalla falou da necessidade de aprovação de dois projetos de lei que estão na Câmara. O primeiro prevê a necessidade de débito negativo na Justiça do Trabalho para as empresas que pretendem contratar com o Poder Público. O outro projeto estabelece a correção dos débitos trabalhistas com o mesmo índice adotado para as dívidas judiciais cíveis.

O ministro reconheceu que as duas propostas provocam certa resistência de alguns setores. “Viemos explicar ao presidente da Câmara a importância do apoio a iniciativas que busquem assegurar a prestação jurisdicional e, com isso, a satisfação dos créditos dos trabalhadores”, afirmou.


Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
Últimas notícias
Scroller Top
Domingo, 22 de Janeiro de 2017
Sábado, 21 de Janeiro de 2017
20:55
Loteria
10:00
Receita do dia
09:00
Maternidade
Sexta, 20 de Janeiro de 2017
10:00
Receita do dia
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)