Cassilândia, Sexta-feira, 02 de Dezembro de 2016

Últimas Notícias

03/09/2004 08:57

TST decide quantos trabalham durante greve dos Correios

Iolando Lourenço/ABr

Brasília – O presidente do Tribunal Superior do Trabalho (TST), Vantuil Abdala, decide hoje o número mínimo de funcionários dos Correios que devem continuar trabalhando no período da greve para não prejudicar o serviço e a população.

O ministro informou que está trabalhando para dar celeridade à apreciação do assunto, assim como na questão do dissídio coletivo. O presidente do TST disse que marcará audiência de conciliação entre empregadores e servidores para a próxima quarta-feira (9). “Se não houver acordo, vamos marcar o julgamento do dissídio coletivo para sexta-feira da semana que vem”.

A Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos (ECT) ajuizou no TST, no fim da tarde de ontem, dissídio coletivo contra a paralisação deflagrada pelos seus empregados. O objetivo da empresa é suspender imediatamente a greve. A questão está sendo examinada pelo presidente do TST, que manifestou preocupação em buscar uma solução rápida para o impasse.

De acordo com o pedido formulado no dissídio coletivo, a empresa pretende a suspensão imediata da greve ou, alternativamente, o "retorno da quantidade adequada de empregados em cada uma das unidades operacionais da ECT que permita a prestação de serviços inadiáveis, abrangendo o recebimento, tratamento, transporte e distribuição de objetos por parte dos Correios".

Durante reunião, ontem à noite, com o deputado João Paulo Cunha, Vantuil Abdalla falou da necessidade de aprovação de dois projetos de lei que estão na Câmara. O primeiro prevê a necessidade de débito negativo na Justiça do Trabalho para as empresas que pretendem contratar com o Poder Público. O outro projeto estabelece a correção dos débitos trabalhistas com o mesmo índice adotado para as dívidas judiciais cíveis.

O ministro reconheceu que as duas propostas provocam certa resistência de alguns setores. “Viemos explicar ao presidente da Câmara a importância do apoio a iniciativas que busquem assegurar a prestação jurisdicional e, com isso, a satisfação dos créditos dos trabalhadores”, afirmou.


Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
Últimas notícias
Scroller Top
Sexta, 02 de Dezembro de 2016
10:00
Receita do Dia
Quinta, 01 de Dezembro de 2016
11:00
Mundo Fitness
10:00
Receita do Dia
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)