Cassilândia, Sábado, 03 de Dezembro de 2016

Últimas Notícias

14/07/2016 07:30

Tricolor sai na frente, mas sofre virada do Nacional e está fora da decisão

Gazeta Esportiva

Acabou na noite desta quarta-feira o sonho do tetracampeonato da Copa Libertadores da América para o São Paulo. O clube brasileiro precisava de uma vitória por dois gols de diferença para seguir vivo na competição, mas voltou a perder para o Atlético Nacional-COL, desta vez por 2 a 1, em duelo disputado no lotado Estádio Atanasio Girardot, em Medellín, e válido pelas semifinais do torneio continental.

Diante de aproximadamente 45 mil torcedores, que pintaram o estádio de verde e branco, o Tricolor até saiu na frente com gol de cabeça de Jonathan Calleri, aos oito minutos do primeiro tempo – o argentino chegou à artilharia isolada da competição, com nove tentos. No entanto, os colombianos, donos da melhor campanha do torneio, trataram de frear o ímpeto são-paulino pouco depois, quando Miguel Borja, carrasco do jogo de ida, arrancou em velocidade para deixar tudo igual.

Precisando desesperadamente de mais dois gols no segundo tempo, o técnico Edgardo Bauza mandou a campo Alan Kardec e Luiz Araújo, que praticamente não tocaram na bola. Apáticos na etapa final, os brasileiros foram envolvidos facilmente pelos mandantes, que viraram o marcador em cobrança de pênalti convertida por Borja, autor de todos os quatro gols do Nacional nas semifinais.

Com o resultado, o placar agregado das semifinais entre São Paulo e Atlético Nacional terminou em 4 a 1 a favor da representação de Medellín, uma vez que havia superado o time da capital por 2 a 0, em pleno Morumbi, há uma semana. Agora, os colombianos aguardam o vencedor do confronto entre Boca Juniors e Independiente del Valle. Os equatorianos venceram o jogo de ida, de virada, por 2 a 1, em casa. A volta está marcada para esta quinta-feira, às 21h45 (de Brasília), no estádio La Bombonera, em Buenos Aires. As finais acontecerão nos dias 20 e 27 de julho.

O São Paulo, por sua vez, buscará sua sétima final de Libertadores no ano que vem caso obtenha a vaga ainda nesta temporada. A classificação pode vir através do Campeonato Brasileiro, pelo qual volta a jogar neste domingo, às 16 horas, quando faz o clássico com o Corinthians, no Estádio de Itaquera.

O jogo – Tudo o que o São Paulo queria para o começo do jogo aconteceu. Logo aos oito minutos, Michel Bastos descolou cruzamento na segunda trave, Calleri subiu mais alto do que os zagueiros, e testou firme, encobrindo o goleiro Armani. Na comemoração, o argentino pediu serenidade aos companheiros: “Tranquilo. Tranquilo”.

Mas de nada adiantou o pedido do artilheiro do São Paulo. O Atlético Nacional tratou de jogar um balde de água fria nas pretensões tricolores apenas sete minutos depois de levar o gol. Após passe errado no meio-campo, Berrío tocou em profundidade para Borja, que ganhou na corrida de Lugano e Bruno e bateu cruzado de esquerda, sem chances para Denis.

Pouco depois o time brasileiro quase retomou a frente do placar. Em uma jogada confusa, Calleri apareceu livre na grande área. O camisa 12 cabeceou, encobriu novamente Armani, mas bola bateu caprichosamente no travessão e saiu.

A partir de então, o jogo ficou lá e cá. Aos 26, Centurión fez boa jogada pelo meio e tocou na esquerda para Michel Bastos, que cruzou rasteiro. A bola passou em frente ao gol do Nacional, mas o carrinho de Calleri não a alcançou. Cinco minutos depois, a resposta dos mandantes: pela direita, Macnelly Torrez cruzou para o meio da área, Marlos Moreno, totalmente livre de marcação, veio de trás e isolou por cima do gol de Denis.

Aí quando o jogo se encaminhava tranquilo para o intervalo, o último lance do primeiro tempo acabou com a calmaria dentro de campo. Michel Bastos deu bom passe para Hudson, que se infiltrou no meio da grande área e foi empurrado por Bocanegra antes de finalizar. O árbitro chileno Patricio Polic mandou seguir, provocando a ira dos são-paulinos. Centurión, inclusive, levou cartão amarelo por reclamação.

Como nada aconteceu nos primeiros minutos do segundo tempo, Edgardo Bauza promoveu a entrada de Alan Kardec no lugar de Hudson, que àquela altura já tinha um cartão amarelo. Mas quem chegou primeiro foi o Nacional. Aos 11, Borja invadiu a área pelo meio e bateu cruzado de esquerda, porém dessa vez Denis agarrou a bola. Logo em seguida, Marlos Moreno deixou Mena para trás na esquerda e chutou sem ângulo. A bola passou perigosamente rente à trave da meta são-paulina.

A alteração do Patón pouco surtiu efeito. Tanto que os locais continuaram mandando na partida. Aos 15 minutos, o time de Medellín por pouco não colocou um ponto final na decisão: Borja passou por Rodrigo Caio, driblou Denis e passou para Berrío que, sem goleiro, finalizou em cima de Bruno.

Precisando urgentemente de um gol para colocar “fogo” na partida, Bauza mandou o garoto Luiz Araújo a campo na vaga de Centurión. O jogador de 20 anos, no entanto, pouco somou ao setor ofensivo do São Paulo, que até o momento não havia finalizado sequer uma vez no gol de Armani na segunda etapa.

Para piorar a situação, Carlinhos, que há pouco entrara no lugar do cansado Mena, fez pênalti ao cortar cruzamento de Guerra com a mão. Na cobrança, Borja bateu no ângulo esquerdo de Denis e decretou a virada aos 32 minutos. Revoltados com a marcação da penalidade, os jogadores e integrantes da comissão técnica do Tricolor reclamaram acintosamente com o árbitro chileno, que acabou expulsando Lugano, que já estava pendurado, Wesley, o mais exaltado entre todos, e o auxiliar José Daniel Di Leo.

Quando a partida foi reiniciada, já aos 40 minutos, o São Paulo estava desmontado e sem qualquer organização tática em campo. Bastou ao Atlético Nacional tocar bem a bola, que é o que de melhor faz, e esperar o tempo passar para atingir sua terceira final na história da Libertadores.

FICHA TÉCNICA
ATLÉTICO NACIONAL-COL 2 X 1 SÃO PAULO

Local: Estádio Atanasio Girardot, em Medellín (Colômbia)
Data: 13 de julho de 2016, quarta-feira
Horário: 21h45 (horário de Brasília – 19h45 hora local)
Árbitro: Patricio Polic (CHI)
Assistentes: Marcelo Barraza e Christian Schiemann (ambos do CHI)
Cartões amarelos: ATLÉTICO NACIONAL: Mejía, Bocanegra.SÃO PAULO: Hudson, Centurión, Thiago Mendes, Lugano, Wesley.
Cartões vermelhos: SÃO PAULO: Lugano e Wesley.

GOLS:
ATLÉTICO NACIONAL:Miguel Borja, aos 15 minutos do 1T e aos 32 minutos do 2T.
SÃO PAULO: Calleri, aos 8 minutos do 1T.

ATLÉTICO NACIONAL: Armani, Bocanegra (Aguilar), Sanchez, Henriquez (Diego Arias) e Díaz; Mejía e Pérez (Guerra); Berrío, Macnelly Torres e Marlos Moreno; Borja.
Técnico: Reinaldo Rueda.

SÃO PAULO: Denis; Bruno, Lugano, Rodrigo Caio e Mena (Carlinhos); Hudson (Alan Kardec), Thiago Mendes, Wesley, Centurión (Luiz Araújo) e Michel Bastos; Jonathan Calleri.
Técnico: Edgardo Bauza.

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
Últimas notícias
Scroller Top
Sábado, 03 de Dezembro de 2016
10:00
Receita do Dia
06:50
Loterias
Sexta, 02 de Dezembro de 2016
10:00
Receita do Dia
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)