Cassilândia, Sexta-feira, 30 de Outubro de 2020

Últimas Notícias

04/09/2020 14:20

TRF3: CadÚnico não pode ser o único comprovante de baixa renda familiar

Fonte: Midiamax

Redação
TRF3: CadÚnico não pode ser o único comprovante de baixa renda familiar

Decisão da 7ª Turma do TRF3 (Tribunal Regional Federal da 3ª Região) devolveu para a vara de origem da Justiça Federal um processo de aposentadoria por invalidez, para que fossem juntados novos documentos a fim de comprovar a situação de pobreza da solicitante, que não fazia parte do CadÚnico (Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal).

A turma do TRF3 seguiu parecer da relatora, a desembargadora federal Inês Virgínia, apontando que a inscrição no CadÚnico não é a única forma de se comprovar a baixa renda familiar.

O caso chegou ao tribunal por meio de recurso do INSS (Instituto Nacional do Seguro Social) em ação da Justiça em Lucélia (SP) que havia concedido aposentadoria por invalidez a uma mulher, portadora de Alzheimer. A Previdência Social sustentou haver irregularidades no recolhimento de contribuições como segurado facultativo de baixa renda, já que a autora não estava inscrita no CadÚnico.

A relatora reforçou que a inscrição no CadÚnico não pode ser a única forma de se comprovar pobreza, citando precedentes no TRF4 (Tribunal Regional Federal da 4ª Região) e destacou que a situação deve ser analisada por outros meios de prova, como laudo social e inscrição em programas assistenciais diversos, entre outros.

“O cadastro pode subsidiar a concessão de benefícios previdenciários, mas não pode ser requisito obrigatório e indispensável para caracterização da condição de segurado”, ponderou a desembargadora federal, para quem os argumentos do INSS não foram suficientes para considerar a concessão da aposentadoria improcedente, sob pena de cerceamento de defesa.

“Mais adequado, no caso, revela-se a desconstituição da sentença e a reabertura da fase de instrução, para assim propiciar à parte autora oportunidade para demonstração de que preenchia, ou não, os requisitos exigidos pela lei”, finalizou. Os autos seguiram para a Vara de origem para juntada dos documentos ou realização de estudo social sobre a condição da beneficiária como segurada facultativa de baixa renda.

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Sexta, 30 de Outubro de 2020
10:00
Receita do Dia
Quinta, 29 de Outubro de 2020
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)