Cassilândia, Quinta-feira, 08 de Dezembro de 2016

Últimas Notícias

29/09/2011 10:52

TRF suspende empreendimentos habitacionais sem rede de esgoto

Edmir Conceição, Campo Grande News

O Tribunal Regional Federal acatou pedido do Ministério Público, que entrou com ação em 2000 contra empreendimentos de conjuntos habitacionais populares sem Sistema de Tratamento de Esgoto. A medida atinge a maior parte da população brasileira que não tem moradia, sobretudo as famílias que vivem em situação precária, próxima a áreas de risco de enchentes e desabamentos. Empreendimentos de conjuntos habitacionais populares só poderão receber recursos provenientes do FGTS, pela Caixa Econômica Federal,se tiverem estação de tratamento de esgoto. Esta foi a decisão do Tribunal Regional Federal 3 – TRF - 3, ao acatar pedido do Ministério Público Federal –MPF, no final de agosto de 2011.

Os investimentos na construção de habitação populares foram suspensos. A liminar do TRF - 3 estendeu os efeitos da decisão para todo o território nacional. Ainda cabem recursos ao STF e ao STJ, mas enquanto esses recursos não forem julgados, a decisão tem validade nacional.

O Superintendente Nacional de Habitação Social, André Marinho, o Presidente da ABC, Mounir Chaowiche, e o Presidente do Fórum Nacional de Secretários de Habitação e Desenvolvimento Urbano – FNSHDU, Carlos Marun, reuniram-se no dia 27 de setembro para discutir e buscar alternativas para o problema.

Problema social - Isso cria um problema enorme para milhares de construções que beneficiaria a população mais carente, que vive em áreas de risco e em condições precárias de moradia e infra-estrutura básica de sobrevivência,afirma Mounir Chaowiche.

De acordo com Carlos Marun, projetos para a construção dos conjuntos habitacionais com recursos do FGTS ficarão paralisados na Caixa Econômica Federal e muitos devem ser revistos conforme a Decisão, pois não contam com a construção de estações de tratamento de esgoto. “Muitos projetos,inclusive contam com fossas sépticas, que fazem as vezes do tratamento do esgoto”, diz o Superintendente Nacional de Habitação Social.

Os projetos anteriormente passíveis de aprovação pela Caixa propõem condições dignas de moradia à população e a preservação do meio ambiente, e até promovem a recuperação de áreas ambientais em alguns casos. No entanto, segundo Mounir Chaowiche, esses projetos levam em conta a realidade de muitas localidades no Brasil que não têm acesso a Sistema de Esgoto e cujo tratamento dos esgotos da região somente será realizado em momento posterior.

Ação tramitava a mais de 10 anos na Justiça - A ação do Ministério Público levou mais de 10 anos para sua aprovação. Naquela época, em 200O, quando o Ministério Público propôs a ação, a Caixa Financiava construções mais caras, no entanto hoje a conjuntura mudou completamente.

A maior parte dos recursos destinados à habitação de Interesse Social é proveniente do FGTS, financiamentos esses liberados pela Caixa.

De outro modo, outras fontes de recursos de financiamentos para moradias, como por exemplo, a Caderneta de Poupança e a empresas que constroem com recursos próprios e depois repassam o financiamento do FGTS podem continuar construindo conjuntos sem Estação de Tratamento de Esgoto. Isso representa uma enorme distorção, porque essas casas só atendem a população com mais poder aquisitivo. Mais uma vez os mais pobres terão mais dificuldade em adquirir a sua casa.

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
Últimas notícias
Scroller Top
Quarta, 07 de Dezembro de 2016
20:20
Loteria
10:00
Receita do dia
09:00
Maternidade
03:14
Loteria
Terça, 06 de Dezembro de 2016
10:00
Receita do Dia
09:00
Maternidade
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)