Cassilândia, Sexta-feira, 09 de Dezembro de 2016

Últimas Notícias

14/03/2010 11:01

Tremores de terra e maremotos mudam rotina dos chilenos

GE.net

Há 15 dias, as pessoas que vivem nas regiões do Chile mais afetadas pelos tremores de terra e tsunamis só têm liberdade para circular nas cidades por seis horas. O toque de recolher, imposto pelo governo federal, levou 1.609 pessoas à prisão.

A medida foi determinada depois de uma onda de saques e violência. A iniciativa tem o apoio popular. Os abalos modificaram a rotina dos chilenos, principalmente os que moram no Centro e Sul do país.

“Agora, quando sentimos qualquer movimento ou temos uma impressão estranha já saímos em busca de lugares mais seguros. Depois do que passou, temos pouca confiança nos órgãos oficiais”, afirmou a dona de casa María Elena Figueroa, moradora de Viña del Mar, cidade ameaçada por tsunamis.

Como a dona de casa, a maioria dos chilenos desconfia dos serviços de alerta de tsunamis e emergência de terremotos. Por essa razão, o novo presidente do Chile, Sebastián Piñera, anunciou que vai mudar os dois órgãos, “profissionalizando” para que as pessoas passem a confiar mais nas informações transmitidas por eles.

Nas cidades onde há mais riscos de abalos, a população mudou os hábitos. A venda de apartamentos caiu, pois as pessoas temem a falta de segurança em prédios altos, principalmente quem gosta dos últimos andares. Com isso, os preços das casas térreas foram elevados em cerca de 50%. Também foram reajustados os aluguéis das casas.

Outra alteração de rotina é que quando há ameaças de tremores ou maremotos todos os órgãos públicos e privados dispensam os funcionários. A medida vale como segurança, pois as estruturas físicas dos prédios têm sido questionadas e, por outro lado, quando ocorrem os abalos as pessoas querem ficar próximas de seus parentes.

Por cautela, os chilenos também temem ficar sem comida e remédio. Por isso, desde o dia 27 – quando houve o maior da série de terremotos, atingindo 8,8 graus na escala Richter – donas de casa e pais de famílias correram às compras.

De acordo com os comerciantes, os produtos mais procurados são batata, limão e sal – base da culinária chilena – e remédios para doenças crônicas, como diabetes e pressão alta, além de primeiros socorros. Porém, não há desabastecimento nas grandes cidades. O problema mais grave ainda é a regularização do sistema de água e energia em alguns setores específicos do Chile.

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
Últimas notícias
Scroller Top
Quinta, 08 de Dezembro de 2016
10:00
Receita do dia
09:00
Maternidade
Quarta, 07 de Dezembro de 2016
20:20
Loteria
10:00
Receita do dia
09:00
Maternidade
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)