Cassilândia, Sábado, 16 de Dezembro de 2017

Últimas Notícias

04/08/2006 08:43

Transportadores urbanos questionam no STF Estatuto Idoso

STF

A Associação Nacional das Empresas de Transporte Urbano (NTU) propôs no Supremo Tribunal Federal (STF) Ação Direta de Inconstitucionalidade (ADI 3768), onde questiona a quem compete garantir a passagem gratuita aos maiores de 65 anos.

A ação é contra a interpretação do artigo 39 do Estatuto do Idoso, que garante aos maiores de 65 anos a isenção de passagem no transporte coletivo urbano. A associação sustenta que o objetivo da ação é desvendar os limites e possibilidades de aplicação da norma que diz respeito às permissões e concessões. Alega que o dispositivo do estatudo violaria os artigos 37, XXI, 175 e 195, parágrafo 5º da Contituição Federal.

O argumento da entidade é de que ao elaborar a lei, o constituinte atribuiu aos municípios o dever de amparar as pessoas idosas, assegurando sua participação na comunidade, defendendo sua dignidade e bem estar, garantindo o direito a vida e a gratuidade nos transportes coletivos urbanos. No entanto, questiona a associação, o ônus da gratuidade não é assumido pelos municípios e sim pelas empresas de transporte urbanos o que causa "elevação de custos, diminuição da receita e quebra do equilíbrio econômico-financeiro dos contratos de permissão ou concessão".

A associação esclarece que não se opõe ao benefício da gratuidade no transporte coletivo, mas apenas a interpretação dada quanto a quem pertence a responsabilidade de arcar com os custos. "Como o direito dos maiores de 65 anos à gratuidade deve ser implementado pelo município e não diretamente pelas permissionárias e concessionárias, então a gratuidade não pode ser imposta ás empresas sem que haja previsão normativa de compensação para perda de receitas", defende.

A entidade pede a aplicação do rito estabelecido no artigo 12 da Lei 9868/99 para que o mérito da ADI seja julgado diretamente pelo Plenário, considerando a relevância do assunto discutido.

No mérito, pede a inconstitucionalidade do artigo 39 do Estatuto do Idoso por violar os artigos 37, XXI, 175 e 195, parágrafo 5º da Contituição Federal, bem como a incidência do preceito ao transporte coletivo urbano prestado no regime de permissão ou concessão enquanto não se elabore norma federal específica para instituir o mecanismo de compensação da gratuidade. A ministra Cármen Lúcia é a relatora da ADI.

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Sábado, 16 de Dezembro de 2017
Sexta, 15 de Dezembro de 2017
10:00
Receita do dia
Quinta, 14 de Dezembro de 2017
21:14
Loteria
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)