Cassilândia, Sexta-feira, 09 de Dezembro de 2016

Últimas Notícias

19/04/2004 16:56

Transplantes: MS melhora desempenho

Agência Saúde

Nos dois primeiros meses de 2004, o Mato Grosso do Sul aumentou em 61,53% o número de transplantes de órgãos realizados pelo Sistema Único de Saúde (SUS), em relação ao mesmo período do ano passado. Foram 21 procedimentos em janeiro e fevereiro deste ano, contra os 13 registrados nos mesmos meses de 2003.

O bom desempenho do estado acompanha os índices nacionais para este início de ano, que foram 44,03% melhores que os do ano passado. No primeiro bimestre de 2004, foram realizados 1.835 transplantes na rede pública de todo o Brasil. No mesmo período do ano passado, foram 1.274.

As informações são do Sistema Nacional de Transplantes (SNT), que faz uma projeção animadora para 2004: se a média de transplantes do primeiro bimestre se mantiver, este ano pode terminar com 11.010 procedimentos realizados em todo o país – 28,86% que o índice de todo o ano passado, quando foram feitos 8.544 transplantes na rede pública brasileira. No Mato Grosso do Sul, a tendência também é de crescimento: dos 96 transplantes realizados em 2003, pode-se chegar a 126 no fim de 2004.

O SNT credita o aumento do número de transplantes neste início de ano, entre outros fatores, à campanha nacional de conscientização, lançada pelo Ministério da Saúde no fim do ano passado. Em 2003, registrou-se a média nacional de 712 transplantes por mês. Logo em janeiro de 2004, foram registrados 1.187 procedimentos – 66,71% a mais que a média mensal do ano anterior. A campanha foi feita para sensibilizar as famílias de doadores e estimular a doação de órgãos e tecidos. Isso porque a legislação brasileira só permite doação com autorização dos familiares. Mesmo que o cidadão declare-se doador, seus órgãos e tecidos só podem ser transplantados se a família permitir.

O órgão responsável por mais de 40% de aumento no total de transplantes realizados no país, neste início de 2004, foi a córnea. No primeiro bimestre do ano passado, foram 532 procedimentos. Neste ano, o número saltou para 1.006 transplantes da membrana ocular.

Também foi registrado, no mesmo período, crescimento no número de transplantes de rim, coração, fígado e medula óssea. Houve queda no total de transplantes de pulmão e esclera (a estrutura branca que dá forma ao globo ocular). No caso do pâncreas, houve aumento do número de transplantes deste órgão isoladamente e também dos casos em que o procedimento é feito simultaneamente com rins.



Metas e investimentos – O governo pretende, até 2006, zerar a fila de espera por uma córnea. No mesmo prazo, espera-se reduzir a demanda por medula óssea e órgãos sólidos (rim, coração, pulmão, pâncreas e fígado) no seguinte ritmo: em 6% até o fim de 2004; em 9% até o fim de 2005; e em 12% até o fim de 2006. Hoje, 58.500 pessoas esperam por um órgão no Brasil.

O Brasil tem o maior programa público de transplantes de órgãos e tecidos do mundo. O SUS responde por 92% dos procedimentos realizados no país. A rede pública de saúde conta com 1.094 equipes médicas e 477 unidades credenciadas para a realização de transplantes. Atualmente, estão em curso 19 processos de credenciamento junto ao Sistema Nacional de Transplantes. E até o fim do ano, espera-se capacitar 600 profissionais.

Em 2004, o Ministério da Saúde prevê recursos da ordem de R$ 400 milhões para a realização de transplantes de órgãos e tecidos. O valor é 16,61% maior que os R$ 343 milhões gastos no ano passado. Em 2002, o investimento no setor foi de R$ 280 milhões. Atualmente, um transplante custa, em média, R$ 35 mil ao Sistema Único de Saúde

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
Últimas notícias
Scroller Top
Sexta, 09 de Dezembro de 2016
Quinta, 08 de Dezembro de 2016
10:00
Receita do dia
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)