Cassilândia, Domingo, 17 de Dezembro de 2017

Últimas Notícias

09/12/2015 08:04

Transexual é homenageada com a Medalha Tiradentes pela Alerj

Cristina Indio do Brasil, Agência Brasil

 

A transexual Gilmara Cunha recebeu hoje (8), no plenário da Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj), a Medalha Tiradentes, a maior honraria da Casa. Ela é moradora do conjunto de comunidades da Maré, na zona norte do Rio, preside o grupo Conexão G de Cidadania LGBT de Favelas e é integrante do Conselho Nacional de Juventude. "A nossa luta maior é pela sobrevivência dentro dos espaços do território de favelas. Hoje a gente vive uma época de militarização das favelas, então é preciso resistir porque a sobrevivência, a vida em si, desta população precisa ser garantida dentro desse espaço", disse.

Durante a cerimônia, Gilmara contou que enfrentou muitas dificuldades e preconceito até admitir a sua homossexualidade. "Comecei a perceber que os desejos que tinha eram normais, sim, e poderia ser o que eu quisesse. Uma frase vinha na minha cabeça: 'Deixe-me existir'. Precisava tomar essa frase como um mantra, botar na cabeça seguir em frente e enfrentar a família", afirmou no discurso interrompido várias vezes devido à emoção.

Depois de ultrapassar essa fase, Gilmara começou a lutar pelo reconhecimento como pessoa e revelou, que, por isso, não vê necessidade de ter que se apresentar como uma pessoa transexual a todo momento. "Para que nos vejam como pessoas e não como uma identidade".

Para a transexual e tradutora de libras, Alessandra Ramos, Gilmara se destacou pela qualidade e pela força do seu trabalho. "Não tem como não sentir orgulho disso. Isso para mim não tem preço", disse. Alessandra quer que o ato na Alerj se traduza em políticas públicas que garantam mais direitos para a comunidade LGBT e pessoas transexuais.

O superintendente de Direitos Individuais, Coletivos e Difusos da Secretaria Estadual de Direitos Humanos e coordenador do Programa Estadual Rio sem Homofobia e do Rio Com Liberdade Religiosa e Direitos Humanos, Cláudio Nascimento, disse que, em um momento de onda conservadora por que passa o país, é importante homenagear uma liderança do movimento de travestis e transexuais de uma comunidade de favelas e reconhecer o protagonismo de personagens dos territórios de favelas.

"Acho algo altamente simbólico, significativo e ajuda a fortalecer o movimento e a reconhecer que pessoas trans nessas comunidades têm ajudado a fazer diferença no sentido de trazer mais noções de direitos humanos e cidadania", afirmou à Agência Brasil.

Claudio Nascimento disse acreditar que, por meio da homenagem a Gilmara, outros travestis e transexuais também possam se sentir reconhecidas e valorizadas para entrar em um movimento social como ela desenvolve.

O autor da proposta da homenagem, deputado estadual Flavio Serafini, informou que ela está cursando psicologia e pretende atuar, depois de formada, no trabalho de ajuda a moradores da Maré e de outros espaços comunitários. O parlamentar disse ainda que a intenção dele ao decidir fazer a entrega da medalha para a ativista de direitos humanos foi parte de uma estratégia de mudar a leitura da história de preconceitos e de violência da sociedade contra transexuais.

"Gilmara é uma pessoa que nasceu na favela e viveu a vida inteira sempre voltada para, no seu trabalho, pensar a questão social, e isso se casou com a questão da sua sexualidade, até fazer a cirurgia e se transformar em uma transexual, e vem desenvolvendo um trabalho muito importante na Maré", afirmou.

Edição: Aécio Amado

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Domingo, 17 de Dezembro de 2017
Sábado, 16 de Dezembro de 2017
Sexta, 15 de Dezembro de 2017
10:00
Receita do dia
Quinta, 14 de Dezembro de 2017
21:14
Loteria
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)