Cassilândia, Segunda-feira, 18 de Dezembro de 2017

Últimas Notícias

01/02/2014 10:59

Tragédia doméstica: 4 mães mortas, 11 orfãos aos cuidados dos avós

Campo Grande News

Imagine, mesmo criança, começar o ano com a notícia de que a sua mãe foi assassinada. E não vítima de uma fatalidade, mas da cruel intenção do companheiro que não aceita o fim do relacionamento. Sobra a dor, sobram os filhos que carregam a tragédia por uma vida inteira. Em Campo Grande, só no mês de janeiro, esta é a realidade de 11 filhos, por conta do assassinato de quatro mulheres.

Há 13 dias, pelo fato de ter uma ligação sanguínea com a ex-mulher de Francisco Ubirajara Marques, 52 anos, a decoradora Mauryani Melgarejo, 29 anos, foi morta por ele. O autor do crime já havia prometido “vingança”, caso não soubesse o paradeiro da ex-mulher e duas filhas.

A vítima deixou um casal de filhos, de cinco e seis anos. A mais velha presenciou o tiro e correu a tempo de se esconder atrás do guarda-roupa. “Do nada, a menina para e repete a cena. Levanta a camisa e fala a mesma frase que ele (Francisco): Você para de escrever cartas para a minha mulher, sendo que, em seguida disparou no pescoço dela”, conta a mãe da vítima.

Aos cuidados da avó, a menina passará por tratamento psicológico. “Ela me parece ser muito sensitiva. Muitas vezes, olha para o céu e fala que a mãe dela é a estrela mais bonita que está lá. Isso me causa revolta, como esse homem monstruoso ainda está impune?”, comenta.

No dia 11 de janeiro, após um “dia inteiro de brigas”, a médica Maria José de Pauli, 60 anos, foi morta com golpes de barra de ferro pelo marido, o pecuarista José Mario Ferreira, 58 anos. Um dia antes, ela compareceu a delegacia e disse que havia descoberto uma traição dele e precisava de ajuda.

A vítima, no entanto, recusou obter uma medida protetiva contra ele. Ela foi orientada a pedir a separação juntamente com parentes. Naquele sábado, uma das filhas passou o dia todo na casa, com a intenção de apaziguar a situação, mas a médica foi morta pouco tempo depois que ela saiu.

Pouco antes do réveillon, Laida Andréia Samulha Romualdo, 35 anos, foi ferida a pedradas pelo ex-marido, Anderson César Firmino, 24 anos. Além de muito ciumento, testemunhas disseram que ele era usuário de drogas e alcoólatra. Na última crise, ele quebrou diversos pertences da casa e “atacou” a vítima, na frente dos quatro filhos, de 3 a 16 anos.

Cinco dias após o fato, sentindo muitas dores, Laida passou por dois postos de saúde até chegar a Santa Casa, onde passou por cirurgia e morreu no dia 9 de janeiro. As crianças ficaram aos cuidados da avó e o pai teve a prisão preventiva decretada, acusado de violência doméstica e homicídio doloso.

De um lado da cidade, enquanto Laida procurava ajuda médica, Dayane Silvestre Uliana, 26 anos, foi morta no cruzamento da avenida Manoel da Costa Lima com a Bandeiras. O ex-marido, Júlio César Martins Ferreira, 38 anos, se apresentou dias depois na Deam (Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher). Ela retornava do trabalho, conduzindo um Corsa, quando foi perseguida e alvejada por ele.

Em depoimento, ele disse que a “amava demais”. O casal viveu junto por dois anos, teve uma filha e estava separado há três meses. A menina ficou aos cuidados dos pais de Dayane. Durante um protesto, parentes contaram que a criança está “sofrendo demais” com a falta dela.

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Segunda, 18 de Dezembro de 2017
Domingo, 17 de Dezembro de 2017
10:00
Receita do dia
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)