Cassilândia, Sábado, 03 de Dezembro de 2016

Últimas Notícias

01/06/2008 11:46

Trabalhador doméstico terá informalidade reduzida

Paula Laboissière /ABr

Brasília - Ana Vaz Cardoso é empregada doméstica há 25 anos e há cinco trabalha na mesma residência. Ela garante que durante todo o tempo em que exerceu a profissão, sempre teve garantidos direitos como carteira de trabalho assinada e o pagamento do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS).

Ana avalia que é “uma pessoa de sorte” porque sabe que para a maior parte dos trabalhadores da categoria, os benefícios trabalhistas nem sempre são assegurados. “Eles vivem revoltados porque trabalham muito e não ganham nenhum direito. O trabalho doméstico é um trabalho como outro qualquer.”

A reivindicação de Ana pela igualdade de direitos trabalhistas pode se tornar realidade. Uma Proposta de Emenda Constitucional (PEC), de autoria da Secretaria Especial de Políticas para as Mulheres, prevê mudanças como o direito ao Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) e ao seguro desemprego para os trabalhadores domésticos. A previsão é de que o texto seja enviado ao Congresso Nacional ainda neste ano.

O presidente do Sindicato das Trabalhadoras Domésticas do Distrito Federal, Antônio Barros, avalia que o projeto chegou “em boa hora”. Ele lembra que, atualmente, os trabalhadores domésticos, pela Constituição, têm direito apenas ao aviso prévio, ao 13º salário, a férias de 30 dias e a um terço do abono de férias.

“Os empregados domésticos não têm direito ao FGTS, ao seguro desemprego, a hora extra, ao adicional noturno. Somente a lavar, passar, cozinhar e arrumar a casa. Chegou a hora dos nossos governantes respeitarem a categoria.”

Ele avalia que,caso a proposta seja aprovada, a informalidade na profissão vai diminuir significativamente. Segundo Barros, o empregado doméstico, grande parte das vezes, se recusa a entregar a carteira de trabalho para ser assinada pelo patrão porque sabe que não tem seus direitos garantidos.

“Não achamos justo uma empregado doméstico trabalhar durante 25 anos em uma casa e sair com uma mão na frente e outra atrás. Se esse projeto for aprovado – e estamos torcendo por isso – eu te garanto que o empregado doméstico vai dar sua carteira profissional para assinar, vai sair de casa muito mais feliz e satisfeito.”

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
Últimas notícias
Scroller Top
Sábado, 03 de Dezembro de 2016
10:00
Receita do Dia
06:50
Loterias
Sexta, 02 de Dezembro de 2016
10:00
Receita do Dia
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)