Cassilândia, Quinta-feira, 24 de Maio de 2018

Últimas Notícias

25/05/2006 17:17

TJMS não permite intervenção federal no Estado

TJMS

Os desembargadores do Tribunal Pleno, por unanimidade, recusaram o pedido de intervenção federal no Estado de MS interposto por Agostinho Pinese Neto e Maria Aparecida Leal Pinese sob o argumento de que são credores de R$ 343.043,84 e que já foi expedida ordem judicial para o devido pagamento sem que o Estado cumprisse tal determinação.

Em sua defesa, o Estado alega que o pedido de intervenção não deve ser acolhido pela falta do pagamento, considerando as dificuldades financeiras enfrentadas pelos Estado e pela Autarquia devedora (Agesul, sucessora da extinta Dersul). O Estado alega também que existem outros precatórios que antecedem ao dos requerentes, que é o 18º da lista de precatórios.

Para o Des. Claudionor Miguel Abss Duarte, relator dos autos nº 2006.004763-5, é necessário ressaltar que a intervenção acarreta transgressão da autonomia da pessoa jurídica estatal, devendo ser admitida apenas em casos extremos. “A intervenção importa em transgressão ao princípio da economia para fazer frente a um mal maior causado pelo descumprimento de decisão judicial”, disse o relator em seu voto.

O desembargador explicou que não se pode admitir medida interventiva tão grave para impor o pagamento da quantia devida, considerando-se que o crédito obedece a uma ordem cronológica, não se podendo assim falar em inadimplência por parte do Estado, pois não há qualquer ação dolosa e deliberada para descumprimento de ordem judicial.

Citando outros julgados, o relator ressaltou: “Para justificar a intervenção, não basta a demora de pagamento, na execução de ordem ou decisão judiciária, por falta de numerário: é necessário o intencional ou arbitrário embaraço ou impedimento oposto a essa execução. (...) Repita-se, a intervenção federal representa – mesmo que transitoriamente – a negação da autonomia institucional reconhecida aos Estados-membros pela Constituição (...)”.

Para finalizar, o relator completou: "Em razão do exposto, recuso o pedido de intervenção federal no Estado de MS”.

Autoria do texto:

Secretaria de Comunicação Social

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Quinta, 24 de Maio de 2018
Quarta, 23 de Maio de 2018
10:00
Receita do dia
Terça, 22 de Maio de 2018
10:00
Receita do dia
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)