Cassilândia, Quinta-feira, 08 de Dezembro de 2016

Últimas Notícias

05/12/2014 17:05

TJMS garante posse a estrangeiro aprovado em concurso público

TJMS

Por maioria, os desembargadores do Órgão Especial concederam a segurança do mandado impetrado por R.E.S.P. contra ato do Governador e do secretário de Administração de MS. De acordo com os autos, o impetrante, de nacionalidade peruana, foi aprovado em concurso público de provas e títulos para a função de médico socorrista, porém teve a posse impedida por não ter título de eleitor.

Sustenta tratar-se de ato ilegal que lhe negou a posse e tornou sem efeito sua nomeação para o cargo de profissional de serviços hospitalares, na função de médico socorrista, em razão da não comprovação dos requisitos e condições legais.

Aponta que é estrangeiro, de nacionalidade peruana, reside no Brasil desde junho de 2001 e requereu a naturalização em 2005, além de já possuir carteira de trabalho brasileira e ter cursado mestrado e doutorado no Brasil.

Assevera que o ato foi editado em razão de não possuir título de eleitor, porém possui visto permanente, o que seria suficiente para lhe garantir a posse no cargo para o qual foi aprovado. Pleiteia a concessão de liminar para o fim de ser empossado no cargo ou, alternativamente, que seja reservada sua vaga até o julgamento final do mandado de segurança. No mérito, requer a concessão da segurança.

A Procuradoria do Estado alega que a questão posta em discussão abrange a possibilidade de se dar posse a candidato que não está com situação regular perante a justiça eleitoral, que, por ser estrangeiro, não possui título de eleitor. Aponta que não teria direito líquido e certo a ser amparado, já que não satisfaz integralmente os requisitos necessários para a concessão da nacionalidade brasileira.

A Procuradoria-Geral de Justiça opinou pela denegação da segurança.

Para o Des. João Maria Lós, 1º vogal, apesar da previsão editalícia, o impetrante está com a razão. Ele citou que R.E.S.P. é peruano e tem inscrição no Conselho Federal de Medicina, possui visto permanente, é casado com brasileira, tem dois filhos brasileiros, reside no Brasil desde 2001, graduou-se no curso de medicina da UFMS e não detém registro de antecedentes criminais.

“O art. 5º da Constituição Federal dispõe que todos serão iguais perante a lei, sem distinção de qualquer natureza, garantindo-se aos brasileiros e aos estrangeiros residentes no país a inviolabilidade do direito à vida, à liberdade, à igualdade e à segurança e propriedade. O art. 6º, por sua vez, assegura o direito ao trabalho e o artigo 37, inciso I, igualmente permite o acesso de estrangeiro a cargos, empregos e funções públicas”, escreveu em seu voto.

Ele entende que a recusa do órgão público em proceder a nomeação, além de atitude discriminatória que não se coaduna com os valores e princípios que informam a ordem constitucional brasileira, em especial os que se voltam à proteção à dignidade da pessoa humana, implica também ofensa a direito líquido e certo do trabalhador.

“A fim de se conferir eficácia plena aos direitos fundamentais consagrados no texto constitucional, como o da igualdade, que abrange estrangeiros residentes no país, voto pela confirmação da liminar, para que seja ordenado às autoridades coatoras que se proceda a nomeação e posse em definitivo do impetrante ao cargo de profissional de serviços hospitalares, na função de médico socorrista”.

Processo nº 1402805.43.2014.8.12.0000

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
Últimas notícias
Scroller Top
Quinta, 08 de Dezembro de 2016
10:00
Receita do dia
09:00
Maternidade
Quarta, 07 de Dezembro de 2016
20:20
Loteria
10:00
Receita do dia
09:00
Maternidade
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)