Cassilândia, Terça-feira, 06 de Dezembro de 2016

Últimas Notícias

11/06/2007 21:38

TJMS decide que Saúde deverá fornecer medicamentos

TJMS

A Segunda Seção Cível, em sessão realizada hoje (11/06), determinou que a Secretaria de Saúde deverá pagar medicamentos aos impetrantes de três mandados de segurança distintos e de um agravo regimental em mandado de segurança, que foi improvido. As decisões foram todas unânimes, contra o parecer da Procuradoria-Geral de Justiça e afastando a preliminar de dilação probatória.

O primeiro mandado de segurança, nº 2006.019559-6, foi impetrado por G.R. que requer a segurança para receber a medicação Interferon Peguilado (180 mcg) e Ribavarina (250 mg), de que necessita para o tratamento da patologia “hepatite crônica pelo vírus ‘C’ com genótipo 3”, da qual se encontra em tratamento médico. O médico que acompanha o tratamento recomenda o uso do medicamento para a evolução clínica da saúde da impetrante. A impetrante afirma que o remédio é de alto custo e não pode arcar com as despesas, R$ 1.200,00 a caixa/ampola de fabricação da ROCHE e R$ 1.000,00 a caixa ampola produzida pela SCHERI-PLOUGH, ambas as quantidades para uso semanal.

O segundo mandado de segurança, nº 2007.003762-0, cujo impetrante AC.L. requer o fornecimento do material médico de autocontrole denominado “tiras reagentes” de que necessita para realização de dosagem de glicemia capilar, por ser portadora de diabete. A requerente está em tratamento médico desta patologia, cujo medicamento, de alto custo, foi prescrito para realização de dosagem de glicemia capilar, o que deve ser feito diariamente.

O outro mandado de segurança, de nº 2007.006755-1, foi impetrado por F.T de S., requerendo o fornecimento do medicamento Teriparatida (Forteo), por 24 meses, visto que é portador de osteoporose gravíssima de alto risco de fratura, em uso de residronato 35 g. há mais de um ano, com piora da atividade mineral óssea.

O agravo regimental em mandado de segurança, nº 2007.009347-7, tendo como agravante o Governo do Estado de Mato Grosso do Sul, contra decisão anterior que concedeu liminar a L.C. da C.M. para que o agravante fornecesse medicamento ao agravado. Os desembargadores confirmaram a decisão anterior, afirmando que é papel do Estado, segundo a Constituição Federal, fornecer saúde à população.

Autoria do Texto:Secretaria de Comunicação Social

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
Últimas notícias
Scroller Top
Terça, 06 de Dezembro de 2016
Segunda, 05 de Dezembro de 2016
21:32
Loteria
13:15
Cassilândia
09:00
Maternidade
Domingo, 04 de Dezembro de 2016
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)