Cassilândia, Terça-feira, 28 de Março de 2017

Últimas Notícias

19/02/2008 07:54

TJ não suspende cobrança de IPTU em Naviraí

TJMS

Por unanimidade, os desembargadores do Tribunal Pleno indeferiram a liminar pleiteada pelo Ministério Público Estadual na Ação Direta de Inconstitucionalidade nº 2007.035137-9, que visa a declarar inconstitucionais os artigos 1º, 2º e 3º e do Anexo III, da Tabela III, da Lei Complementar nº 60/2006, do Município de Naviraí.

O Ministério Público alega violação ao art. 1º, II, da Constituição Estadual, em razão da desigualdade gerada pela escolha de base de cálculo para arbitrar o valor do imóvel a ser tributado e em virtude da não-observância das normas do sistema tributário nacional.

Sustenta o MP que o fumus boni iuris decorre da violação ao disposto nos artigos 1º, inciso II, e 150, caput, da Constituição Estadual, e que o periculum in mora reside no fato de que a manutenção do texto impugnado penalizará toda a população de um município que o sujeita aos encargos decorrentes de um tributo inconstitucional.

A Lei Complementar nº 60/2006 , que gerou efeitos a partir de 1º de fevereiro de 2007, aprova a planta genérica de valores para o efeito de lançamento e cobrança do Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU) para o exercício de 2007. A planta genérica de valores (o anexo III) consiste em uma tabela com multiplicadores para vias com potencial de valorização, discriminando para avenidas e quadras do município os respectivos fatores de multiplicação. Para o MP, tais disposições estariam ferindo preceitos da Carta Estadual.

O Des. Josué de Oliveira, relator dos autos, lembrou que a concessão de medida cautelar em ação direta de inconstitucionalidade depende do preenchimento de dois requisitos: periculum in mora e fumus boni iuris, porém, neste caso, o relator observou ainda o periculum in mora inverso.

“No presente caso”, disse o relator em seu voto, “não encontro preenchido o requisito periculum in mora, uma vez que a Lei Complementar nº 60, aprovada em 11 de setembro de 2006 e publicada em 31 de outubro de 2006, entrou em vigor na data de sua publicação e gerou efeitos a partir de 1º de fevereiro de 2007, ao passo que a presente ação só foi ajuizada em novembro de 2007, nove meses depois, quando - de acordo com a autoridade municipal - mais de 90% dos contribuintes já tinham efetuado o pagamento do tributo”.

E, fundamentando seu voto, o desembargador decretou: “Por outro lado, vislumbro na espécie o periculum in mora inverso ao se impedir o poder público municipal de exigir o pagamento do tributo e assim receber os valores de que prescinde para o desempenho de suas atividades. Com base nestes fundamentos, voto pelo indeferimento do pedido de concessão da medida cautelar”.

Autoria do Texto:Secretaria de Comunicação Social

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Segunda, 27 de Março de 2017
Domingo, 26 de Março de 2017
10:00
Receita do dia
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)