Cassilândia, Terça-feira, 12 de Dezembro de 2017

Últimas Notícias

08/04/2014 07:25

TJ determina remoção de servidora pública por motivo de saúde

TJMS

A 5ª Câmara Cível, por unanimidade e contra o parecer da Procuradoria-Geral de Justiça, deu provimento ao recurso interposto por P.L. de R. contra a decisão que indeferiu seu pedido em Ação de Obrigação de Fazer interposta contra o Departamento Estadual de Trânsito do Mato Grosso do Sul (Detran/MS).

Na ação, a autora relatou que foi admitida na instituição por meio de concurso público, no qual foi aprovada para o cargo de assistente de atividade de trânsito. Ela contou que em abril de 2013 entrou em exercício na cidade de Mundo Novo e que, após nove meses, requereu sua remoção para Campo Grande por problemas de saúde. A requerente alegou que tem dores súbitas e violentas nas costas, o que muitas vezes a impossibilita de se locomover ou fazer qualquer atividade. Também argumentou que o tratamento indicado a sua patologia é fisioterapia continua, tratamento não disponível na cidade.

O pedido foi indeferido em 1º Grau. Não satisfeita, a autora interpôs recurso de agravo de instrumento, no qual sustentou que sua doença necessita de acompanhamento médico específico não disponível em Mundo Novo, correndo assim risco de agravamento de sua situação. Ela apresentou documentos que confirmaram que é portadora de hérnia de disco e que há a possibilidade de evolução da doença caso não seja submetida ao tratamento adequado. Os documentos alertaram também para a possibilidade da requerente vir a ter problemas psicológicos decorrentes das fortes dores. Ao final, pediu que fosse determinada sua imediata remoção.

Responsável pela relatoria do processo, o Des. Vladimir Abreu da Silva determinou a remoção da autora para uma das agências do órgão situadas em Campo Grande e declarou: “O pedido de remoção ocorre dentro do mesmo órgão, qual seja o Departamento Estadual de Trânsito (Detran/MS), sendo que a alegada vinculação ao Município pelo qual concorreu à vaga no concurso público não é suficiente para afastar a possibilidade de remoção por motivo de saúde prevista no Estatuto da categoria, até mesmo porque se trata de órgão com abrangência estadual, possuindo agências em diversos Municípios, dentre os quais àquele para o qual é solicitada a remoção. Uma vez prevista a possibilidade ao servidor, resta incorporado o direito à sua esfera jurídica, não podendo a inércia do Poder Público em regular o mecanismo para reposição de vagas configurar empecilho para que usufrua aquilo que a norma autoriza”.

Autor da notícia: Secretaria de Comunicação Social - imprensa@tjms.jus.br

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Terça, 12 de Dezembro de 2017
Segunda, 11 de Dezembro de 2017
20:42
Loteria
10:00
Receita do dia
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)