Cassilândia, Terça-feira, 12 de Dezembro de 2017

Últimas Notícias

26/02/2008 18:07

TCE rejeita 14 prestações de contas de convênios

Luiz Junot/TCE

Na sessão realizada nesta terça-feira (26.02), a 1ª Câmara do Tribunal de Contas de Mato Grosso do Sul (TCE/MS) julgou 31 processos, dos quais 24 considerados irregulares. Deste total, 14 prestações de contas de convênios da Secretaria de Estado de Educação com Associações de Pais e Mestres de Escolas (APMS) em vários municípios, contrariando a legislação em vigor.

De acordo com o conselheiro relator dos processos, Carlos Ronald Albaneze “as APMS não possuem a necessária competência para a realização de obras públicas, cujo encargo é atribuído, exclusivamente, à Agesul/MS, nos termos da Resolução SED nº 1.220, de 15 de janeiro de 1998”. Ainda de acordo com o relatório voto do conselheiro, “verifica-se a ocorrência de desvio de finalidade, haja vista que não consta dos estatutos destas entidades, até em razão da singeleza das suas atividades, a devida competência para a execução de obras, ou mesmo para serviços de engenharia”.

Segundo o relatório, “diversos outros aspectos foram infringidos pelas entidades conveniadas, tais como: a não retenção do ISS incidente sobre a prestação dos serviços prestados resultando em prejuízo direto ao município, a cotação de preços foi realizada de maneira ineficiente, uma vez que em muitos casos apreciados, foram consultadas e contratadas empresas estabelecidas fora do município e do próprio Estado”, concluiu o relator aplicando multa de 280 Uferms no total, ao ex-secretário de Estado de Educação, Hélio de Lima.

Os conselheiros determinaram ainda a impugnação de R$ 19.354,00, em outros dois processos considerados irregulares, sendo R$ 11.000,00 referente ao pagamento de subsídios aos ex-vereadores de Mundo Novo, ocorrido em Janeiro de 2005, quando os mesmo já haviam encerrado o seu mandato; e R$ 9.354,00 por inobservância do artigo 2º da Lei 8.666/93, por parte do ordenador de despesa do Fundo Municipal de Saúde de Rio Brilhante à época (2002), Marcelo Pancera com a realização de despesas sem licitação. Em todos os processos considerados irregulares, os ordenadores de despesas foram multados e os valores impugnados deverão ser corrigidos monetariamente e devolvidos aos respectivos cofres. Em alguns casos, cabe recurso após publicação no Diário Oficial do Estado.





Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Terça, 12 de Dezembro de 2017
Segunda, 11 de Dezembro de 2017
20:42
Loteria
10:00
Receita do dia
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)