Cassilândia, Domingo, 25 de Fevereiro de 2018

Últimas Notícias

17/08/2017 06:40

Supremo venezuelano determina prisão de deputado casado com ex-procuradora-geral

Agência Brasil

 

O Tribunal Supremo de Justiça da Venezuela (TSJ) determinou, nessa quarta-feira (16), a detenção do deputado Germán Ferrer, marido da ex-procuradora-geral Luisa Ortega. Ele é acusado pelo Ministério Público (MP) de fazer parte de um esquema para extorquir empresários. A informação é da Agência EFE.

"Em conformidade com o disposto no Artigo 116, da Lei Orgânica do Tribunal Supremo de Justiça, declara-se procedente a detenção do cidadão deputado Germán Darío Ferrer", diz a sentença do TSJ, que aceitou o pedido de prisão feito pelo novo procurador-geral, Tarek Saab.

O tribunal decidiu que Ferrer não terá direito a pré-julgamento de mérito, que deve ocorrer antes da abertura de processos contra integrantes de altos cargos, por se tratar de um caso de "crime flagrante". Isso permite à Justiça pular esse passo, no qual são avaliados os motivos para indiciar figuras públicas.

O MP diz ter em seu poder "documentos originais," assinados por Ferrer e outros acusados, que comprovariam a abertura de várias contas nas Bahamas, onde teriam sido depositados até US$ 6 milhões. 

Ferrer é um dos ex-deputados do governista Partido Socialista Unido da Venezuela (Psuv) que romperam com o presidente Nicolás Maduro e montaram um grupo parlamentar próprio na Câmara.

Sua esposa Luisa Ortega se rebelou há meses contra o governo e o TSJ, entidade que ela acusou de ajudar o Executivo. Luisa foi destituída do cargo em 5 de agosto pela recém-instalada Assembleia Nacional Constituinte, criada pelo chavismo para "refundar" o Estado e "limpar" as instituições.

A residência de Ferrer e Ortega foi alvo de buscas ontem, por agentes do serviço de inteligência (Sebin), que levaram computadores e outros materiais.

A acusação do MP se baseia em denúncia do deputado governista Diosdado Cabello, que acusou Ferrer e o antigo procurador anticorrupção Pedro Lupera de pedirem grande quantidade de dólares em troca da retirada de ações penais contra os extorquidos.

Empresários que trabalhavam na faixa petrolífera do Orinoco - onde se encontram as maiores reservas de petróleo da Venezuela - alertaram que estavam sendo vítimas dessas práticas, segundo Cabello e Saab.

Durante o mandato de Ortega, o MP acusou vários dirigentes de uma empresa petrolífera com participação do Estado venezuelano, depois que encontrou indícios de que os eles aumentaram artificialmente os preços na hora de comprar produtos para a companhia.

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Domingo, 25 de Fevereiro de 2018
Sábado, 24 de Fevereiro de 2018
10:00
Receita do dia
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)