Cassilândia, Quinta-feira, 17 de Agosto de 2017

Últimas Notícias

29/01/2008 13:18

Supremo julgará legalidade de greve de advocacia federal

Agência Brasil

A Advocacia Geral da União (AGU) vai recorrer hoje (29), ao Superior Tribunal de Justiça, da decisão do Tribunal Regional Federal (TRF) da 4ª Região, que garante o direito de greve aos advogados públicos federais.

Na última sexta-feira (25), o TRF anulou a decisão da juíza Iolete Maria Fialho, da 16ª Vara de Justiça Federal do DF que considerava a greve ilegal, por causar “danos de difícil reparação” ao patrimônio público, com repercussões para o contribuinte.

Segundo o secretário-geral do Fórum Nacional da Advocacia Pública Federal, Jorge Messias, é natural que a AGU recorra.

\"Faz parte do processo, mas temos a confiança e a tranquilidade de que todo o procedimento desenvolvido foi feito dentro da absoluta legalidade. Temos a tranquilidade que a justiça vai continuar resguardando o nosso direito de greve”.

A categoria é formada por advogados da União, procuradores da Fazenda Nacional, procuradores federais, procuradores do Banco Central e defensores públicos da União.

Eles decidiram pela paralisação após o anúncio do ministro do Planejamento, Orçamento e Gestão, Paulo Bernardo, da suspensão dos reajustes salariais para os servidores públicos por causa do fim da Contribuição Provisória sobre Movimentação Financeira (CPMF). O acordo firmado entre as entidades de classe e o govarno federal, em novembro do ano passdo, previa reajuste de 30% até 2009.

Os grevistas estão reunidos hoje em frente a sede da AGU para fazer uma manifestação contra o descumprimento do acordo. Cerca de 6 mil advogados públicos federais participam da greve. Serviços como a recuperação de tributos sonegados estão sendo prejudicados.

“Com que moral vamos exigir da sociedade que eles cumpram com suas obrigações legais se o governo federal não honra conosco o seu compromisso”, indagou.

O Fórum Nacional da Advocacia Pública Federal espera se reunir, ainda hoje, com o presidente da república, Luiz Inácio Lula da Silva, e com o Ministério do Planejamento para discutir o cumprimento do acordo.

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Quinta, 17 de Agosto de 2017
Quarta, 16 de Agosto de 2017
10:00
Receita do dia
09:19
Cassilândia
Terça, 15 de Agosto de 2017
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)