Cassilândia, Quarta-feira, 13 de Dezembro de 2017

Últimas Notícias

01/02/2006 13:28

Súmula impeditiva: Senado aprova mais um projeto de lei

TJ/MS

A Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado aprovou, na última quinta-feira (26), mais dois dos quatro projetos de lei da reforma infraconstitucional do Poder Judiciário que estavam incluídos na pauta da convocação extraordinária. Uma das propostas trata da súmula impeditiva de recursos no primeiro grau, com intuito de unificar para todo o país as interpretações legais de matérias controvertidas, agilizando as soluções de litígios.

Na prática, se aprovada, a proposta permitirá aos tribunais não receber recursos de apelação de sentenças que estejam em conformidade com súmulas do Superior Tribunal de Justiça (STJ) ou do Supremo Tribunal Federal (STF). Para quem não está acostumado com a linguagem jurídica, súmula da jurisprudência do STF é a síntese da orientação pacífica do mais alto tribunal do país a respeito da interpretação e da aplicabilidade das normas legais vigentes de qualquer natureza.

Para o Dr. Marcelo Câmara Rasslan, presidente da Associação dos Magistrados de Mato Grosso do Sul (Amamsul), a súmula nada mais é que uma extensão do art. 557, do Código de Processo Civil, que permite ao relator, ao receber o processo, indeferir ou negar provimento liminarmente – a diferença é que, se isso acontecer, a parte pode recorrer. No caso da súmula, se a decisão for semelhante o recurso não pode ser impetrado.

“Tanto a Amamsul quanto a AMB sempre defenderam posição favorável à súmula impeditiva de recursos. Primeiro, porque o juiz continua livre para decidir, até contra a súmula, se assim entender necessário - diferente da súmula vinculante. Segundo, se já há manifestação do Estado sobre o assunto, já apresentou decisão mais de uma vez, não há necessidade de se fazê-lo novamente – a não ser que o juiz queira renovar o trabalho”, esclareceu Rasslan.

O presidente da Amamsul acredita que a aprovação da citada súmula resultará numa significativa redução de recursos impetrados nos tribunais superiores. “A súmula não impede que as partes tenham um julgamento isento por parte do juiz”, complementa.

Outro posicionamento favorável é do Dr. Vilson Bertelli juiz da 1ª Vara Cível da Capital, por entender que a súmula impeditiva de recursos não afeta a independência do juiz no julgamento. “Se o magistrado entender diferentemente do que estiver na súmula, a parte tem garantido seu direito recursal”, comentou.

Autoria do texto:


Marília Capellini

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Quarta, 13 de Dezembro de 2017
10:00
Receita do dia
Terça, 12 de Dezembro de 2017
20:48
Loteria
Segunda, 11 de Dezembro de 2017
20:42
Loteria
10:00
Receita do dia
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)