Cassilândia, Sábado, 16 de Dezembro de 2017

Últimas Notícias

24/09/2008 18:05

STJ mantém 40 candidatos em concurso da PM no Estado

Bira Martins/Campo Grande News

Quarenta candidatos ao concurso público para policial militar em Mato Grosso do Sul, que haviam sido reprovados nos exame psicotécnico, poderão participar das fases subseqüentes do concurso e realizar novos exames.

O presidente do STJ (Superior Tribunal de Justiça), ministro Cesar Asfor Rocha, negou o pedido do Estado para suspender a liminar que autorizava a permanência deles no concurso.

Após serem reprovados na segunda etapa, que consiste em exame de aptidão mental, os candidatos obtiveram liminares para seguir no concurso, alegando que não foram especificados critérios objetivos para a inaptidão no exame psicotécnico.

Ao conceder as liminares, o Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul afirmou que os exames estão desprovidos de motivação e de objetividade, e que não encontrarem previsão na lei ou edital que sustente a inaptidão dos candidatos reprovados.

O Estado requereu então ao STJ a suspensão da medida de segurança, alegando não haver requisitos para a concessão da liminar, e sustentou que a decisão ofenderia a ordem administrativa, pois acarretaria desordem na condução do concurso, a ordem econômica, pois geraria custos para o Estado no refazimento dos exames e na manutenção dos candidatos reprovados no curso de formação, e ofenderia a segurança pública, pois os candidatos reprovados no exame, não possuindo as condições exigidas, estarão incumbidos de realizar a segurança da população, com o possível manejo de arma de fogo.

O presidente STJ negou a suspensão. Para Cesar Rocha, a alegação de prejuízo à segurança pública não ficou suficientemente demonstrada, pois a realização de novos exames psicotécnicos não representaria, por si só, lesão ao bem protegido.

“Ademais, a decisão impugnada não determina a nomeação para os cargos públicos, de forma que não há risco iminente para a segurança da população”, considerou o ministro.

Segundo César Rocha, a alegação de grave ofensa à ordem econômica não é convincente. “A realização de novo exame psicotécnico para quarenta candidatos não demandará a contratação do mesmo número de pessoal especializado para aplicar o primeiro teste, de forma que o valor apresentado não comprometerá gravemente as finanças do Estado”, concluiu o ministro.

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Sábado, 16 de Dezembro de 2017
Sexta, 15 de Dezembro de 2017
10:00
Receita do dia
Quinta, 14 de Dezembro de 2017
21:14
Loteria
10:00
Receita do dia
Quarta, 13 de Dezembro de 2017
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)