Cassilândia, Terça-feira, 21 de Agosto de 2018

Últimas Notícias

08/02/2018 08:20

STF valida lei que obriga operadoras a justificarem negativa de tratamento

Campo Grande News

O STF (Supremo Tribunal Federal) julgou nesta quarta-feira (7) como improcedente a ADI (Ação Direta de Inconstitucionalidade), ajuizada pela Unidas (União Nacionak das Instituições de Autogestão em Saúde), contra a Lei 3.885/2010, de Mato Grosso do Sul, que obriga as operadoras de planos de saúde a fornecer ao consumidor informações com o motivo da negativa de custeio da assistência médica.

A ministra Cármen Lúcia apontou que a lei não interfere direta ou indiretamente os acordos firmados entre as operadores e os usuários. "O legilador estadual exerceu competência legislativa nos termos da Constituição Federal e no que dispõe o Código de Defesa do Consumidor. A lei impugnada se voltou à proteção do consumidor e não disciplina direito civil, comercial ou de política securitária".

A Unidas alegava que a norma burla a competência privativa federal para legislar sobre direito civil, comercial e política de seguros, impondo obrigações na prestação da assistência médico-hospitalar, que é regida por contratos de natureza privada. "A lei atende ao inciso XXXII do artigo 5º da Constituição Federal, que estabele que o Estado promoverá, na forma da lei, a defesa do consumidor, e ao Código de Defesa do Consumidor, que reconhece como direito básico a informação adequada e clara sobre os diferentes produtos e serviços, com especificação correta de quantidade, características, composição, qualidade, tributos incidentes e preço, bem como sobre os riscos que apresentem", disse a ministra.

A relatora disse ainda que o STF tem prestigiado a competência legislativa dos estados. "A entrega do documento informativo expondo as razões pelo qual um determinado tratamento ou procedimento foi negado não amplia o rol de obrigações contratuais entre a operadora e o usuário. Pelo contrário, o que se tem é apenas uma transparência maior para cumprimento dos termos legislados", completou. O voto da presidente do STF foi acompanhado por todos os ministros presentes na sessão.

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Terça, 21 de Agosto de 2018
10:00
Receita do dia
09:00
Santo do dia
Segunda, 20 de Agosto de 2018
Domingo, 19 de Agosto de 2018
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)