Cassilândia, Terça-feira, 12 de Dezembro de 2017

Últimas Notícias

25/08/2006 09:50

STF nega pedido de transferência de Beira-Mar

STF

O Supremo Tribunal Federal (STF) negou ontem a noite, o pedido de transferência de Fernandinho Beira-Mar feito no Habeas Corpus (HC) 88508. Beira-Mar, que está preso na Penitenciária Federal de Catanduvas, interior do Paraná (PR), pedia para ser transferido para um dos presídios comuns do Estado. Ele recorreu ao STF depois que o pedido de habeas foi indeferido no Superior Tribunal de Justiça (STJ).

A defesa apontou ilegalidade quanto à remoção de Beira-Mar para a penitenciária federal, uma vez que a execução de sentença penal transitada em julgado proferida por juiz estadual não é de interesse da União.

O advogado, ao pedir a remoção de Beira-Mar, citou recente decisão da Primeira Câmara Criminal do Tribunal de Justiça de São Paulo, "que teria declarado a inconstitucionalidade de ato estatal que instituiu, no âmbito do Estado de São Paulo, o regime disciplinar diferenciado (RDD)".

Celso de Mello explica, no entanto, que a declaração de inconstitucionalidade não caberia ao TJ. O ministro salientou, sem examinar o mérito da controvérsia, que “a referida declaração de inconstitucionalidade – caso confirmada – não poderia emanar daquela colenda Câmara Criminal que, por ser órgão meramente fracionário, não dispõe de competência para formular juízo de ilegitimidade constitucional”.

O relator observou que “a inconstitucionalidade de qualquer ato estatal (ainda que se trate de mera resolução administrativa) só pode ser declarada pelo voto da maioria absoluta da totalidade dos membros do Tribunal ou, onde houver, dos integrantes do respectivo órgão especial (como ocorre em São Paulo), sob pena de absoluta nulidade da decisão emanada do órgão fracionário (Turma, Câmara ou Seção)”. A determinação está prevista no artigo 97 da Constituição Federal.

Celso de Mello ressaltou, ainda, que as justificativas apresentadas ao STF não foram as mesmas julgadas pelo Superior Tribunal de Justiça (STJ). Conforme o ministro, o STF só é competente para julgar habeas corpus contra decisões de tribunais superiores e que os temas deveriam ter sido analisados anteriormente pelo STJ.

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Segunda, 11 de Dezembro de 2017
20:42
Loteria
10:00
Receita do dia
Domingo, 10 de Dezembro de 2017
10:00
Receita do dia
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)