Cassilândia, Sábado, 16 de Dezembro de 2017

Últimas Notícias

15/09/2009 08:22

Socorro a estados e municípios soma R$ 8 bilhões

Welton Máximo, Agência Brasil

Brasília - A queda na arrecadação federal também teve efeito nos cofres estaduais e municipais, sustentados em parte pelas transferências da União por meio do Fundo de Participação dos Estados (FPE) e do Fundo de Participação dos Municípios (FPM). A equipe econômica teve de agir em socorro das prefeituras e dos governos estaduais. Sem levar em conta a renegociação de dívidas dos municípios, a ajuda direta chegou a R$ 8 bilhões.

Em fevereiro, após uma marcha nacional de prefeitos, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva anunciou a edição de uma medida provisória que destinava R$ 1 bilhão, do governo federal, para compensar a queda nas transferências do FPM. O texto foi aprovado pelo Congresso em meados de abril.

Em relação aos estados, o governo criou uma linha de R$ 4 bilhões do Fundo de Amparo ao Trabalhador (FAT), operada pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) para a manutenção dos investimentos estaduais. Além disso, a equipe econômica antecipou o repasse de R$ 1,95 bilhão das perdas com a Lei Kandir. Normalmente, o dinheiro sai no fim do ano, mas a União autorizou a compensação em junho.

A Lei Kandir isenta as exportações de Imposto sobre a Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS), tributo administrado pelos estados. Em troca da perda de receita, o governo federal, todos os anos, compensa os governadores com transferências previstas no Orçamento Geral da União.

Para diminuir o impacto da perda de receita, o governo também antecipou as transferências do Fundeb, fundo que financia o ensino básico em nove estados do Norte e Nordeste e seus respectivos municípios. O adiantamento está sendo compensado com repasses menores no segundo semestre.

O governo também concordou em renegociar as dívidas das prefeituras com a previdência social. Na mesma medida provisória que estabeleceu a compensação do FPM, foi permitido o parcelamento de R$ 14 bilhões de débitos das administrações municipais com o Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) em até 20 anos. No entanto, a renegociação só foi aberta no início de agosto e o prazo de adesão terminou no fim do último mês.

O FPE e o FPM são compostos por 44% da arrecadação do Imposto de Renda e do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) distribuída pela União aos estados (21,5%) e municípios (22,5%). Nos oito primeiros meses do ano, os repasses somaram R$ 48,59 bilhões, dos quais R$ 23,74 bilhões correspondem ao FPE e R$ 24,85 bilhões ao FPM. A quantia é cerca de 7% menor que a registrada no mesmo período de 2008.

Confira as medidas de socorro a estados e municípios adotadas desde o início da crise:

• Aprovação de medida provisória que destina R$ 1 bilhão para prefeituras afetadas pela diminuição nos repasses do Fundo de Participação dos Municípios decorrente da queda na arrecadação (13 de abril)
• Criação de linha de crédito de R$ 4 bilhões do Fundo de Amparo ao Trabalhador (FAT) operada pelo BNDES para compensar queda nos repasses aos estados e ao Distrito Federal (20 de abril)
• Antecipação de R$ 1,06 bilhão de repasses do Fundeb, fundo que financia a educação básica, para Alagoas, Amazonas, Bahia, Ceará, Maranhão, Pará, Paraíba, Pernambuco e Piauí, e aos seus municípios (22 de abril)
• Medida provisória autoriza o repasse de R$ 1,95 bilhão a estados e municípios que tiveram perdas com Lei Kandir (10 de junho)
• Abertura de renegociação das dívidas das prefeituras com a previdência social. Receita Federal estima que até R$ 14 bilhões podem ser parcelados em até 20 anos (7 de agosto).



Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Sábado, 16 de Dezembro de 2017
Sexta, 15 de Dezembro de 2017
10:00
Receita do dia
Quinta, 14 de Dezembro de 2017
21:14
Loteria
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)