Cassilândia, Segunda-feira, 27 de Fevereiro de 2017

Últimas Notícias

24/10/2013 14:19

Sob o olhar de Manoel Afonso, Moção a “Mister Gay” esquenta ânimos na Câmara

Campo Grande News/ Bruno Chaves e Kleber Clajus
Manoel Afonso, ao fundo, acompanhando a discussão ao término da sessão (Foto: Cleber Gellio)Manoel Afonso, ao fundo, acompanhando a discussão ao término da sessão (Foto: Cleber Gellio)

A polêmica sobre a aprovação da moção de congratulação ao douradense Carlos Gabriel, que venceu o concurso gay “Mister Brasil Diversidade”, fez com que a sessão da Câmara desta quinta-feira (24) terminasse em gritaria e bate-boca. O vice-presidente Flávio César (PT do B) chegou a anunciar que avaliará a possibilidade de abrir um processo contra o vereador Paulo Pedra (PDT) por quebra de decoro.

Durante os comentários, Pedra desagradou a bancada religiosa do Legislativo ao dizer que “não existe família de evangélico que não tenha um gay”. Minutos depois ele corrigiu e disse que não “não existe família de brasileiros que não tenha um gay”.

Por causa das palavras utilizadas pelo pedetista, Flávio César, que presidia a sessão na ausência de Mario Cesar (PMDB), pediu para que a frase de Pedra fosse retirada da ata por ser “imprópria”. Ele também determinou que fosse retirado do documento o termo “homofóbico”, que Pedra associou ao vereador Elizeu Dionizio (SDD).

A sessão foi encerrada, mas a confusão teve novos capítulos e partiu para os bastidores. À imprensa, Flávio justificou seu posicionamento, como presidente, dizendo que “sempre respeitamos o ser humano, mas representamos um segmento. Por princípios bíblicos, não aprovo isso” – em referencia a moção de congratulação.

Religião e Homossexualidade – Flávio disse que é membro e representa a Igreja Adventista do Sétimo Dia. Para ele, as questões religiosas “norteiam minhas decisões”. “Estou vereador para defender princípios e convicções”, argumentou.

O vice-presidente ainda afirmou que Pedra é “preconceituoso contra os evangélicos”. Ele disse que concorda com a retirada das palavras da ata e disse que o regimento da presidência o coloca nessa prerrogativa.

Por causa das declarações do pedetista, que aos gritos e no calor da discussão dizia que Flávio César não tinha legitimidade para estar onde estava, na cadeira da presidência, o vice-presidente anunciou que pretende entrar com um processo contra o colega.

Ainda polemizando, o vice-presidente disse que exerceu seu papel. “Ninguém tem o direito de tirar a autoridade, isso dá quebra de decoro. Vou avaliar se abro ou não um processo contra o vereador Paulo Pedra por dizer que eu não tenho legitimidade para exercer a presidência. Eu exerci meu papel”, afirmou.

Na saída, o contra-ataque – Na saída do plenário, os dois vereadores se encontraram e teve uma nova discussão. “Ele também não teria porque fazer esse alvoroço todo estando vereador com liminar”, lembrou Flávio.

Paulo Pedra indagou o vice-presidente, novamente aos berros: “seja homem de entrar com pedido de quebra de decoro contra mim”. Flávio tentou amenizar a situação dizendo que o vereador não precisava falar gritando quando recebeu uma resposta: “esse é meu jeito”.

Na confusão, um assessor parlamentar do vice-presidente foi apartar a discussão e afirmou ter sido agredido, aos empurrões, pelo vereador Pedra. Ele ameaçou registrar um boletim de ocorrências, mas foi orientado pelos companheiros a não fazer.

Após a confusão, Paulo Pedra, Flávio César e Alceu Bueno (PSL) se reuniram na sala dos vereadores para tentarem resolver a situação.

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
Últimas notícias
Scroller Top
Segunda, 27 de Fevereiro de 2017
Domingo, 26 de Fevereiro de 2017
10:00
Receita do dia
Sábado, 25 de Fevereiro de 2017
10:00
Receita do dia
07:30
Loterias
Sexta, 24 de Fevereiro de 2017
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)