Cassilândia, Terça-feira, 12 de Dezembro de 2017

Últimas Notícias

14/05/2004 10:49

Sistema cooperativista tem forte expansão no país

Stênio Ribeiro/ABr

A Organização das Cooperativas Brasileiras (OCB) registrou expansão de 29,6% do setor, no ano passado, em relação a 2002, e acredita que o crescimento deste ano seja ainda maior em função das facilidades de acesso ao sistema cooperativo geradas pela Resolução 3.106, do Conselho Monetário Nacional (CMN), de junho do ano passado. A expansão se justifica levando-se em conta a determinação do governo de aumentar a concorrência e reduzir o custo dos empréstimos.

O otimismo foi destacado pelo assessor econômico da OCB, Evandro Ninaut, acrescentando que a criação de novas cooperativas está mais fácil, apesar de alguns gargalos de ordem tributária que acabam gerando desconforto para o setor. Mas, de modo geral, a evolução é patente na confrontação de números da Diretoria de Normas do Banco Central, que registrou o surgimento de 25 cooperativas de crédito em 2003, enquanto só no primeiro trimestre deste ano já somavam mais 28.

Com isso, sobe para 1.427 o número de cooperativas de crédito registradas no BC até março último. Já os dados da OCB apontam para 1.454 cooperativas até hoje, das quais 1.381 estão em pleno funcionamento. A diferença, segundo Ninaut, fica por conta das solicitações homologadas, mas que não entraram em operação por diferentes motivos.

Ele ressalta que o setor está em franca expansão no país, embora ainda funcione de forma modesta quando comparado a países com tradição cooperativista. É o caso da Alemanha, onde as cooperativas de crédito respondem por 20% de todo o movimento financeiro-bancário; ou da Holanda, onde elas atendem a quase totalidade das demandas financeiras rurais.

Longe disso, aqui as cooperativas de crédito movimentam pouco mais de 2% das operações de crédito do Sistema Financeiro Nacional (SFN) - sem contar os recursos direcionados - o que corresponde hoje a R$ 6,5 bilhões, conforme estimativa da OCB. Mas, se compararmos os resultados obtidos em 1995, quando a participação foi de apenas 0,47% do volume de operações de crédito, o sistema mais que quadruplicou em oito anos. Somadas, as cooperativas de crédito e as 1.519 cooperativas agropecuárias têm 6,3 milhões de associados e garantem 110 mil empregos diretos.

Para impulsionar ainda mais o setor, o Conselho Monetário Nacional (CMN) autorizou, em sua reunião de março último, que os dois únicos bancos cooperativos do Brasil (o Bancoop, de Brasília, e o Bansicred, de Porto Alegre) operem também na captação de poupança para aplicar no setor rural. Isso era uma antiga reivindicação dos produtores, tendo em vista que a autorização valia apenas para o Banco do Brasil, Banco do Nordeste e Banco da Amazônia.

À época, o ministro da Agricultura, Roberto Rodrigues, estimou que os dois bancos devem captar R$ 1 bilhão para adicionar à próxima safra agrícola, com início em julho, e anunciou que o ministério se prepara para atender à crescente demanda pelo cooperativismo. Por isso, convidou o ex-dirigente da OCB de Santa Catarina, Norberto Kretzer, para dirigir o Departamento Nacional de Cooperativismo e Associativismo Rural (Denacoop), com posse prevista para 1º de junho.

Evandro Ninaut enfatizou que o setor tem forte potencial de crescimento e comemorou a recente divulgação, pelo diretor de Normas do Banco Central, Sérgio Darcy, de que mais 56 pedidos de cooperativas de crédito aguardam autorização de funcionamento. Alguns deles com falhas na apresentação dos projetos, que estão sendo reformulados, e a estimativa é de que a maioria seja autorizada até final do mês que vem.


Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Segunda, 11 de Dezembro de 2017
20:42
Loteria
10:00
Receita do dia
Domingo, 10 de Dezembro de 2017
10:00
Receita do dia
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)