Cassilândia, Terça-feira, 12 de Dezembro de 2017

Últimas Notícias

05/07/2006 06:34

Síndrome neurológica no Maranhão já matou 13 pessoas

Isabela Vieira/ABr

Subiu para 13 o número de mortes no Maranhão em decorrência de uma síndrome neurológica de origem não determinada. A doença foi detectada no começo do ano e existem casos em 16 municípios do estado. De acordo com a Secretaria de Saúde do Maranhão, oito pessoas estão internadas no Hospital Municipal de Imperatriz, a 637 quiômetros da cidade de São Luís, com suspeita de estar com a doença. Os dados do Ministério da Saúde apontam 55 casos suspeitos da síndrome no Maranhão.

No último final de semana, o ministério enviou ao estado uma equipe de médicos neurologistas para integrar a equipe de pesquisadores do ministério, das secretarias estadual e municipais de Saúde que investigam as mortes. Desde o início de junho a equipe de técnicos está no local. O superintendente de Epidemiologia da Secretaria de Saúde do Maranhão, Henrique Jorge, disse que a pesquisa está em andamento. "Já colhemos amostras de sangue dos contaminados e as enviamos para laboratórios, mas os laudos ainda não chegaram".

Entre as hipóteses que explicam a causa da doença está a carência nutricional, principalmente de vitamina B1, que pode se agravar com o uso de bebidas alcoólicas, conforme explicou o diretor de Epidemiologia do Ministério da Saúde, Expedito Luna. "A dieta insuficiente em vitamina B1 leva à deficiência de vitaminas no organismo. A falta de vitaminas é agravada com o uso crônico de álcool, que diminui a absorção desses nutrientes", explicou.

O superintendente da Secretaria de Saúde do Maranhão, Henrique Jorge, informou que a doença não é fatal e que as pessoas que morreram com a síndrome chegaram aos hospitais com os sintomas em estado avançado. Para o superintendente, a falta de atendimento médico de qualidade prejudicou a situação dos doentes. "A maioria das pessoas morava em áreas rurais e chegou aos hospitais em estado grave. Não é a doença que é perigosa, perigosa é falta de assistência médica na zona rural", afirmou.

Jorge disse ainda que a secretaria de estado faz campanhas educativas para orientar as pessoas a procurar imediatamente um hospital ao sentir sintomas como inchaço, formigamento e sensibilidade nas pernas, além de fraqueza. Ele informou que resultados preliminares comprovaram que a doença não é transmissível. O ministério não confirmou a existência de casos suspeitos da síndrome em outros estados, além do Maranhão.

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Terça, 12 de Dezembro de 2017
Segunda, 11 de Dezembro de 2017
20:42
Loteria
10:00
Receita do dia
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)