Cassilândia, Quinta-feira, 18 de Julho de 2019

Últimas Notícias

22/06/2019 08:30

Setor produtivo quer atualizar Plano Florestal de MS

Correio do Estado

 

Com 1,1 milhão de hectares em florestas plantadas, Mato Grosso do Sul antecipou em mais de uma década a meta estimada para acontecer em 2030.

Com objetivo de organizar a cadeia produtiva do segmento, a Câmara Setorial Florestal do Estado participou no início da semana de uma reunião com equipes da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), a fim de obter informações sobre tomadas de preços na produção de floresta plantada e madeira.

O coordenador é o engenheiro florestal, Moacir Reis, que é também produtor de eucalipto para celulose e carvão vegetal e presidente da Associação Sul-Mato-Grossense de Produtores e Consumidores de Florestas Plantadas (Reflore).

Na avaliação do representante, a desinformação é um dos maiores problemas para quem trabalha no setor produtivo de madeira. Reis explica que existe sim, grande preocupação com o desmatamento, e mais ainda, em preservar árvores nativas, reservas legais, áreas de proteção permanente (APP) e de conservação.

“Aqui no Mato grosso do Sul temos um entendimento sobre conservação e sustentabilidade diferenciado do resto do País. Crescemos olhando a questão ambiental, social e econômica e valorizando a parceria com o Governo do Estado que nos oferece o suporte necessário e tem sido fundamental para o desenvolvimento do setor", ressalta.

ATUALIZAÇÕES

A Câmara Setorial observou a necessidade da atualização do Plano Florestal do Estado e está trabalhando no escopo do projeto. “Hoje o Estado tem duas indústrias de celulose em Três Lagoas, é um dos maiores produtores de celulose do Brasil e do mundo”.

Moacir lembra que os problemas da empresa Vale em Brumadinho (MG) fizeram com que muito do minério de Corumbá vá para Minas Gerais, o que trouxe novas perspectivas para o setor. O tema também foi discutido na pauta com a Conab e é tratado com nível elevado de atenção pelos membros da Câmara.

“Trabalhamos a expansão de novas indústrias, pensando no meio ambiente, no produtor, em gerar postos de emprego e mais renda para nossa gente”, argumenta Reis. Com essa afirmação, o produtor entende que a atuação da câmara tem o intuito de congregar o setor como um todo, incluindo os segmentos de serraria, cavaco e carvão vegetal.

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Quinta, 18 de Julho de 2019
10:00
Receita do Dia
09:00
Santo do Dia
Quarta, 17 de Julho de 2019
10:00
Receita do Dia
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)