Cassilândia, Domingo, 18 de Novembro de 2018

Últimas Notícias

27/07/2018 12:30

Setor florestal cresceu 809%, aponta pesquisa preliminar do IBGE

Correio do Estado

Pesquisa preliminar do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) apontou que um dos segmento produtivos com maior desenvolvimento foram as florestas plantadas e naturais, que juntas somaram aumento de 809%. O balanço foi apresentado pelo Censo Agro 2017, na manhã desta quinta-feira (26), em Campo Grande

Outra informação importante é que das cinco cidades brasileiras com maior produção de eucalipto, quatro se localizam em Mato Grosso do Sul: Três Lagoas, Ribas do Rio Pardo, Selvíria e Brasilândia. O município de Piraí do Sul ocupa o 4º lugar e se localiza no estado do Paraná.

Apesar dos dados ainda não serem conclusivos, o estado ocupa o terceiro lugar em número de pés de eucalipto existentes nos estabelecimentos agropecuários: 1.173.243 peças.

De acordo com o presidente da Associação Sul-Mato-Grossense de Produtores e Consumidores de Florestas Plantadas (Reflore/MS), Moacir Reis, o desenvolvimento observado na área de florestas plantadas, se deve a três fatores: a chegada de novas indústrias no Estado, logística e legislação ambiental.

"O segmento de florestas atende na atualidade a demanda de celulose, serraria e carvão vegetal e somando os empregos diretos e indiretos, alcança o número de 100 mil pessoas colocadas profissionalmente. Atualmente, nosso estado é o segundo produtor nacional de área plantada de eucalipto e perde somente para o estado de Minas Gerais, posto que podemos ultrapassar nas próximas duas décadas", observa o representante dos produtores.

Reis acrescenta que 95% da produção em florestas plantadas é utilizada a espécie de eucalipto. "A adaptação da espécie se comprovou na produtividade eficiente e na diversidade de utilização", conclui.

AGRICULTURA

Resultados expressivos foram evidenciados na agricultura, visto que a área utilizada para produção de lavoura permanente teve crescimento de 155% entre 2006 e 2017, no Estado. Enquanto isso, as lavouras temporárias de forma geral, aumentaram 55% no mesmo período.

As lavouras permanentes, florestas plantadas, são áreas que mesmo após a colheita não necessitam de novo plantio produzindo por vários anos, como por exemplo a seringueira. Essa lavoura em 2006, teve registrado 61.593 mil hectares e passou para 157.087 hectares em 11 anos.

Já nas lavouras temporárias que abrangem áreas plantadas de curta duração e precisam de novos plantios a cada colheita, como grãos e cana-de-açúcar, cresceu de 7,2% para 11,6% em 2017.

De acordo com o coordenador técnico do Censo Agropecuário do MS, José Aparecido de Lima Albuquerque, isso acontece quando o produtor decide migrar para o plantio de grãos, como a soja por exemplo, e aumenta o campo de lavoura, deixando de aumentar as pastagens. No entanto, Albuquerque afirma que mesmo com a queda nessas áreas, a qualidade da pastagem não caiu.

PESQUISA CONTINUA

Para Albuquerque, mesmo que o balanço seja preliminar, o Estado obteve bons resultados em todos os setores, além dos grandes destaques registrados nesses 11 anos. “As matas e florestas foram os destaques, porque que aconteceu um aumento significativo até mesmo no plantio de eucalipto nos municípios”, disse.

Porém, o coordenador do Censo Agro afirma que os resultados não são conclusivos e alguns dados precisam ser coletados, apesar de não alterarem em grandes proporções o primeiro resultado divulgado.

“Ainda vamos coletar alguns dados em municípios e setores que não foram alcançados, como parte da região do Pantanal por exemplo, mas pretendemos finalizar tudo até setembro deste ano”, finalizou.

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Domingo, 18 de Novembro de 2018
09:05
Cassilândia
Sábado, 17 de Novembro de 2018
09:00
Santo do dia
06:25
Cassilândia/Paranaiba
Sexta, 16 de Novembro de 2018
22:20
Cassilândia
Quinta, 15 de Novembro de 2018
09:00
Santo do dia
Quarta, 14 de Novembro de 2018
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)