Cassilândia, Segunda-feira, 11 de Dezembro de 2017

Últimas Notícias

18/06/2014 18:57

Servidora cobrou R$ 150 mil para liberar R$ 2,6 milhões a hospital

Campo Grande News

Presa em flagrante por corrupção e lavagem de dinheiro, Roberlaine Patrícia Alves, 28 anos, servidora do Ministério da Saúde, cobrou R$ 150 mil em troca da liberação de R$ 2,6 milhões em emendas parlamentares. Com o recurso, o Hospital do Câncer Alfredo Abraão iria comprar equipamentos de radioterapia.

A chantagem começou no dia 15 de maio, em encontro com o diretor-presidente do hospital, Carlos Coimbra, em Brasília. Primeiro, a servidora exigiu R$ 50 mil para agilizar a liberação de R$ 1 milhão para a compra de dois equipamentos. Depois, cobrou mais R$ 100 mil em troca de emenda de R$ 1,6 milhões para a instituição adquirir acelerador linear.

Ele afirmou já ter encontrado com a servidora "em uma ou duas ocasiões" anteriores, sempre à trabalho, mas a chantagem aconteceu na última reunião. Indignado com a cobrança de propina, assim que voltou a Campo Grande, Coimbra procurou a promotora de Justiça, Paula Volpe, para denunciar o caso. Ela o aconselhou a acionar a PF (Polícia Federal), que detonou a investigação.

Com a autorização do juiz federal Odilon de Oliveira, Coimbra depositou R$ 50 mil em uma conta bancária informada pela servidora. O procedimento permitiu a PF rastrear a conta, de titularidade do pai de ex-namorado da funcionária do Ministério.

Ainda sob orientação da polícia, o presidente do hospital marcou um reunião com a servidora em Campo Grande para lhe entregar o restante da propina. Em uma sala monitorada por agentes da PF, com câmaras e escutas, Coimbra entregou R$ 100 mil, em sete folhas de cheque, quatro de R$ 10 mil e três, de R$ 20 mil.

Diante do flagrante, agentes da PF a prenderam por corrupção e lavagem de dinheiro. A servidora atuava há três anos como consultora técnica do Ministério da Saúde. Ela não é concursada, só contratada.

À delegada da PF, Kelly Bernardo Trindade, a mulher informou agir sozinha. “As investigações vão continuar, vamos averiguar se há evolvimento de outros servidores, e se outros dirigentes de hospitais foram coagidos”, disse a policial. Segundo o superintendente da PF, Edgar Marcon, “o inquérito deve ser concluído em 15 dias e encaminhado ao MPF (Ministério Público Federal)”.

“O juiz pode arbitrar fiança”, comentou. A servidora segue presa na sede da Polícia Federal de Campo Grande e, por enquanto, não há previsão de transferência.

Sobre os equipamentos, Coimbra assegurou que os recursos para aquisição foram incluídos no orçamento de 2013 e, por isso, devem ser entregues ao hospital ainda neste ano, assim como o acelerador linear, o sexto aparelho entre pelo Ministério da Saúde. "Mesmo porque o hospital cumpre todas as exigências técnicas", afirmou.

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Domingo, 10 de Dezembro de 2017
10:00
Receita do dia
Sábado, 09 de Dezembro de 2017
09:09
Cassilândia
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)