Cassilândia, Segunda-feira, 28 de Maio de 2018

Últimas Notícias

28/12/2007 13:02

Servidor de MS só poderá mudar de banco em 2011

Marta Ferreira - Campo Grande News

Os servidores públicos do governo de Mato Grosso do Sul só terão a opção de receber os salários no banco de seu interesse em 2011, embora esteja em vigor desde março deste ano as novas regras para a conta-salário, que dão ao empregado o direito de escolher a instituição para depósito do pagamento. A Secretaria de Administração tem recebido, e negado, pedidos de servidores interessados em transferir o recebimento dos proventos para outras instituições, sob a justificativa de que o contrato de exclusividade com o Banco do Brasil não permite, até a data citada, a transferência do depósito para outra instituição financeira.

Só nesta semana, foi publicada no Diário Oficial a resposta negativa a pelo menos vinte pedidos de mudança de banco por servidores. O Campo Grande News apurou quem em outubro, diante das solicitações, a Secretaria de Administração editou um ofício circular informando aos órgão estaduais a impossibilidade de mudança.

A exceção, conforme o documento editado, fica para os pensionistas e para servidores da ativa que conseguirem decisões judiciais determinando a mudança. Existem casos desse tipo, em número não informado.

O Estado tem hoje 55 mil servidores, entre ativos, inativos e pensionistas. A reportagem apurou que destes há 241 da ativa e 48 pensionistas que recebem pela Caixa Econômica Federal.

A Caixa é, conforme as informações levantadas, o banco que mais tem pedidos de transferência, normalmente relacionados ao fato de o servidor ter financiamento habitacional no banco.

Prazo é legal - Quando criou as novas regras para as contas-salário, o Banco Central estabeleceu prazos para que as mudanças fossem adotadas, dependendo da data de assinatura do contrato entre os empregadores e as instituições financeiras.

Para os servidores públicos, o prazo pode ir até 2012, conforme o BC explicou à época. As regras editadas pelo BC para conta-salário determinam que elas devem ser ab ertas no banco de interesse do empregado e não devem cobrar tarifas.

Um dos motivos do prazo para colocação em vigor das leis é proteger os acordos feitos entre governos e bancos, medidante leilões das folhas de pagamento. Em Mato Grosso do Sul, não chegou a haver leilão, embora o governador André Puccinelli (PMDB) tenha feito essa ameaça no início do ano. Na época, o Banco do Brasil topou conceder R$ 130 milhões em crédito, em nome do servidor para ser pago pelo Estado, para garantir a quitação da folha de pagamento de dezembro, que estava atrasada.

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Domingo, 27 de Maio de 2018
Sábado, 26 de Maio de 2018
14:57
Cassilândia
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)