Cassilândia, Terça-feira, 12 de Dezembro de 2017

Últimas Notícias

18/04/2008 16:22

Senadores de MS usaram R$ 60 mil em verba indenizatória

Humberto Marques - Campo Grande News

Os três senadores de Mato Grosso do Sul gastaram juntos entre fevereiro e março o total de R$ 68.000,68 da chamada “verba indenizatória”. O número dos gastos dos parlamentares no Senado foi divulgado hoje pela organização Transparência Brasil, dentro de seu projeto “Excelências”, e levantado a partir da divulgação do próprio Senado, que neste ano passou a disponibilizar em seu site dados como os gastos com verba indenizatória.

O “Excelências” pontuou que, embora os senadores tenham aderido a essa divulgação, ainda não oferecem com facilidade dados como o comparecimento em sessões plenárias e comissões temáticas, dificilmente encontrados para consulta. Dados como viagens oficiais e diárias também estão ausentes. Já a verba indenizatória – que compreende gastos como correspondências, combustíveis, aluguéis de escritórios e outros – é de R$ 15 mil mensais. Até 15 de abril, os senadores gastaram R$ 1,604 milhão na verba indenizatória.

Em sua análise, o projeto “Excelências” separou a verba em três agrupamentos distintos: Transporte e Estadias (incluindo locomoção, hospedagem, alimentação, combustível e lubrificantes); Divulgação e Consultoria (divulgação das atividades parlamentares e contratação de consultorias e assessorias); e Aluguel e outras despesas (aluguéis de escritórios e despesas vinculadas, como custeio operacional). A primeira é a que obteve mais atenção dos senadores: foram gastos R$ 621,1 mil com transporte. A divulgação consumiu R$ 556 mil, e outros R$ 426,9 mil foram com aluguéis.

Os senadores sul-mato-grossenses só tinham disponíveis os gastos de fevereiro e março, que chegaram praticamente R$ 68 mil. Delcídio do Amaral (PT) foi o senador que mais usou da verba indenizatória, somando gastos de R$ 29.506,79. A principal despesa do senador foi com aluguel (R$ 15.772,87), seguido de transporte (R$ 12.359,36). Com divulgação, o gasto de Amaral chegou a R$ 1.374,56 no período. Em fevereiro, o senador utilizou R$ 14.959,82 da verba indenizatória; valor que caiu modicamente em março, para R$ 14.546,97.

Nos dois primeiros meses de trabalho Legislativo, a senadora Marisa Serrano (PSDB) foi a única a ultrapassar o valor de R$ 15 mil, registrando em março gastos totais de R$ 15.344,87 – pouco acima do limite. A Transparência Brasil lembra que, ao apresentar notas em valor inferior aos R$ 15 mil, a quantia não usada estará disponível para o mês seguinte. Em fevereiro, os gastos da senadora foram de R$ 10.430,38. Esse acúmulo pode ser feito em, no máximo, um semestre.

Assim, em dois meses, Marisa utilizou R$ 25.775,05 da verba indenizatória. Do total, mais da metade foram direcionados para o pagamento de aluguéis e despesas correlatas (R$ 14.951,20). A segunda maior despesa da parlamentar foi com consultoria e divulgação do mandato (R$ 6.263,27). A senadora foi a que teve o menor gasto com transporte e estadias: R$ 4.560,58.

Já Valter Pereira (PMDB) foi mais econômico no uso da verba indenizatória. Em dois meses, os gastos do senador totalizaram R$ 12.718,84. O curioso é que os maiores gastos do parlamentar ocorreram em fevereiro, mês mais curto do ano. No período, Valter Pereira utilizou R$ 10.553,56. Em março, os gastos do senador caíram para R$ 2.165,28.

Praticamente todos os gastos do peemedebista foram com transporte nesses dois meses: Pereira declarou o uso de R$ 12.418,84. Tanto com divulgação como com aluguel o senador gastou R$ 150.

No seu estudo, a Transparência Brasil lembra que além da verba indenizatória os senadores têm outra quantia mensal para deslocamento às cidades de origem, uso de carros oficiais e contratação de assessores. Com todas essas regalias, o Senado brasileiro é considerado a instituição parlamentar mais cara do mundo.

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Terça, 12 de Dezembro de 2017
Segunda, 11 de Dezembro de 2017
20:42
Loteria
10:00
Receita do dia
Domingo, 10 de Dezembro de 2017
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)