Cassilândia, Domingo, 23 de Abril de 2017

Últimas Notícias

25/02/2005 15:22

Senadores convocam José Dirceu para esclarecer discurso

Marcos Chagas/ABr

Os senadores Jefferson Peres (PDT-AM) e Antero Paes de Barros (PSDB-AM) apresentaram hoje à Mesa Diretora do Senado requerimentos para a convocação do ministro chefe da Casa Civil da Presidência da República, José Dirceu. A convocação pretende esclarecer no plenário as declarações do presidente Luiz Inácio Lula da Silva feitas na tarde de ontem. "Já que pela Constituição Federal o Senado não pode convocar o presidente da República, eu creio que é oportuno chamar o ministro que lhe é mais próximo que é o chefe da Casa Civil", justificou Peres.

Já o requerimento do senador tucano tem o objetivo de esclarecer declarações atribuídas a José Dirceu de que a insistência do PSDB em processar o presidente Lula poderia fazer com que "o feitiço virasse contra o feiticeiro". A declaração teria sido dada por Dirceu, na Argentina, segundo o líder do PSDB, Arthur Virgílio Neto, que leu da tribuna reportagens de agências de notícias. O senador Jefferson Peres qualificou as declarações feitas pelo presidente, no Espírito Santo, de "estarrecedoras" e "irresponsáveis". "Nunca vi um Presidente da República fazer uma declaração tão irresponsável. O fato é tão grave que não deve ficar confinado a uma confissão" disse o pedetista ao defender o comparecimento de José Dirceu em plenário.

O líder do PSDB, Arthur Virgílio Neto (AM), foi o primeiro a levantar o assunto na sessão não deliberativa do Senado. Ele apresentou à Mesa um requerimento com voto de censura da Casa ao presidente pelas suas declarações. Caberá a Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), presidida pelo senador Antônio Carlos Magalhães (PFL-BA), julgar o requerimento do líder tucano. Já o líder do PFL, senador José Agripino Maia (RN), pediu ao Ministério Público que entre no caso.

"O Ministério Público tem que defender o interesse da sociedade. O presidente disse que houve corrupção referindo-se a comunicação de um ex-auxiliar que, agora, disse que não houve corrupção e que o presidente exagerou um pouco. Com quem está a razão? Houve corrupção, prevaricação ou não houve nada? A palavra está com o Ministério Público", afirmou Agripino Maia.

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Domingo, 23 de Abril de 2017
Sábado, 22 de Abril de 2017
10:00
Receita do dia
09:00
Maternidade
Sexta, 21 de Abril de 2017
11:00
Mundo Fitness
09:00
Maternidade
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)