Cassilândia, Sábado, 24 de Junho de 2017

Últimas Notícias

01/11/2012 05:59

Senado discute pré-pagamento no consumo de energia elétrica

Agência Brasil

O sistema de pré-pagamento para o consumo de energia elétrica foi discutido ontem (31) em audiência pública na Comissão de Assuntos Econômicos e de Serviços de Infraestrutura do Senado Federal. A falta de uma regulamentação em relação aos medidores pelo Instituto Nacional de Metrologia (Inmetro) e os problemas quanto à cobrança do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) e da Contribuição para Custeio da Iluminação Pública (Cosip) foram analisados pelos participantes como obstáculos a ser superados para a implantação do pré-pagamento.

O modelo de pré-pagamento funciona como qualquer sistema de crédito pré-pago, o usuário escolhe um valor, compra um código e insere em um aparelho medidor, que deve ser instalado em cada condomínio, casa ou empresa. O aparelho registra a quantidade de energia a ser disponibilizada e avisa ao consumidor quando o crédito estiver perto de terminar. A compra do crédito também deve ser facilitada, podendo ser feita em postos de gasolina, bancas de revista e outros locais de grande circulação.
O sistema já foi implementado em regiões ribeirinhas no Amazonas e em alguns locais de São Paulo e apresentou uma diminuição de 10% a 35% no consumo, segundo a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel). “O consumidor tem um maior controle dos gastos, podendo comprar em pequenas quantidades, conforme a necessidade e possibilidade. Do lado das empresas, há a redução do risco de inadimplência”, disse o superintendente de Regulação da Comercialização da Eletricidade da Aneel, Marcos Bragatto.

Celso Soares, coordenador-geral substituto de Estudos e Monitoramento de Mercado da Secretaria Nacional do Consumidor (Senacon), recomendou um estudo mais aprofundado para a implantação do sistema de pagamento para o consumidor e cobrou mais clareza sobre o seu funcionamento . \\\"Os estudos da Aneel mostram que os usuários compram créditos duas ou três vezes por semanas. Isso não seria oneroso para o consumidor? O acesso tem que ser muito fácil, senão o custo para adquirir esse crédito vai ser muito grande. Não somos contra, mas ainda estamos analisando essa proposta\\\", disse.
A audiência também teve o objetivo de instruir o projeto de lei do Senado sobre a possibilidade de gratuidade dos primeiros 50 quilowatts-hora mensais de energia elétrica para consumidores residencial de baixa renda no âmbito da Lei nº 10.438/2002, que prevê a tarifa social no consumo de energia elétrica.

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Sexta, 23 de Junho de 2017
Quinta, 22 de Junho de 2017
10:00
Receita do Dia
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)