Cassilândia, Terça-feira, 22 de Maio de 2018

Últimas Notícias

30/03/2005 16:31

Segurada em auxílio-doença pode pedir salário-maternidad

AgPrev

A operadora de telemarketing, Mirian Rangel Porto (36), engravidou em maio de 2004 e, em agosto, devido às fortes dores que sentia, foi obrigada a afastar-se de suas atividades profissionais, no Banco Real, e solicitou o auxílio-doença. Os primeiros 15 dias foram pagos pelo seu trabalho e, o período restante, pelo INSS.

Em fevereiro de 2005, quando nasceu o filho, Davi, ela solicitou a suspensão do auxílio-doença e requereu o salário-maternidade, a ser pago durante 120 dias. No final deste período, ela deverá retornar às atividades no trabalho.

Desde setembro de 2003, o salário-maternidade das seguradas empregadas, exceto no caso de adoção, passou a ser pago pelas empresas. Já as empregadas domésticas, contribuintes individuais, facultativas e mães adotivas recebem diretamente da Previdência Social.

O salário-maternidade é pago durante 120 (cento e vinte) dias, com início até 28 (vinte e oito) dias anteriores ao parto e término 91(noventa e um) dias depois. Quando a segurada gestante necessita se afastar de suas atividades, por motivo de doença, deve solicitar um auxílio-doença e, na época do parto, requerer a suspensão (do auxílio-doença), e a concessão do salário- maternidade.

Perícia Médica - Contudo, se após a cessação do salário-maternidade, mediante avaliação da Perícia Médica do INSS, for constatado que a segurada permanece incapacitada para o trabalho, pela mesma doença que originou o auxílio-doença suspenso, este será restabelecido. Se na avaliação perícia médica do INSS ficar constatada a incapacidade da segurada para o trabalho, em razão de moléstia diversa do auxílio-doença suspenso, deverá ser concedido novo benefício.

O esclarecimento foi feito pela técnica da Gerência do INSS/RJ, Centro, Simone Barreto Domingues de Oliveira. Ela ressaltou também que, para efeito de cálculo, o valor do salário-maternidade corresponderá ao salário que a segurada recebe na empresa e não ao valor do auxílio-doença. Destacou, ainda, que se a segurada recebe um salário fixo, o benefício terá valor igual ao do último salário recebido. Caso o salário seja variável, será calculada a média dos seis últimos salários.

Simone esclareceu, também, que para as seguradas contribuinte individual (autônoma ou empresária) e facultativa exige-se carência de 10 meses de contribuição, para receber o salário-maternidade. A segurada que ficar desempregada poderá inscrever-se como contribuinte facultativa, mantendo as contribuições em dia, para requerer o benefício. (Ricardo Gosling)

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Terça, 22 de Maio de 2018
Segunda, 21 de Maio de 2018
10:00
Receita do dia
Domingo, 20 de Maio de 2018
15:18
Cassilândia/Itajá
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)