Cassilândia, Terça-feira, 06 de Dezembro de 2016

Últimas Notícias

19/03/2004 09:04

Secretários de Saúde firmam pacto

Agência Brasil

Um protocolo de intenções para reduzir as mortalidades materna e neonatal nas 27 unidades da federação e nos mais de 5.500 municípios brasileiros foi assinado na abertura oficial do XX Congresso do Conselho Nacional dos Secretários Municipais de Saúde (Conasems), ontem à noite, em Natal (RN).

Com esse ato, o Ministério da Saúde ratificou o compromisso firmado no Dia Internacional da Mulher (8), em solenidade no Palácio do Planalto, onde o presidente Luiz Inácio Lula da Silva e o ministro Humberto Costa assinaram um pacto nacional de redução dos atuais índices em 15% até o fim de 2006. Hoje, no Brasil, para cada 100 mil nascimentos, ocorrem 74,5 mortes de mulheres. No caso das crianças, a cada mil nascidas, 18,3 morrem nos primeiros 28 dias de vida.

O protocolo assinado em Natal reforça a importância do envolvimento de estados e municípios para mudar essa realidade. No documento, cujo objetivo mais urgente é qualificar a atenção obstétrica e neonatal no país, estão previstas obrigações para o Ministério da Saúde, como a de garantir, no Sistema Único de Saúde (SUS), atendimento qualificado de planejamento familiar, pré-natal, parto e acompanhamento contínuo da mãe da criança, depois do nascimento.

Para reverter o quadro atual, o Ministério da Saúde já adotou medidas importantes, como a inclusão de urgências obstétricas e pediátricas no Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), atualmente implantado em oito municípios, e que deverá chegar a outros 152 com mais de 100 mil habitantes até o final de 2004 – um investimento de R$ 120 milhões.

No pacto, as principais ações propostas pelo Ministério da Saúde para reduzir os índices de mortalidade materna e neonatal incluem a garantia de que mulheres e recém-nascidos não sejam recusados nos serviços de saúde e que sejam assistidos até a transferência para outra unidade; o acesso das mulheres ao planejamento familiar e o Teste do Pezinho.

As informações são do Ministério da Saúde

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
Últimas notícias
Scroller Top
Segunda, 05 de Dezembro de 2016
21:32
Loteria
13:15
Cassilândia
09:00
Maternidade
Domingo, 04 de Dezembro de 2016
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)