Cassilândia, Sexta-feira, 18 de Agosto de 2017

Últimas Notícias

28/05/2004 09:10

Salário mínimo ainda não é consensual

Agência Câmara

A bancada do PT na Câmara adiou nesta quinta-feira a reunião que havia sido marcada para discutir a decisão já tomada pela Executiva Nacional do partido de fechar questão, mesmo sem unanimidade, pelo valor enviado ao Congresso. A bancada vai ter dificuldades para encontrar consenso, pois dos 90 deputados cerca de 30 já manifestaram a intenção de votar contra os R$ 260.
O presidente nacional do PT, José Genoino, já se manifestou publicamente pela manutenção do valor do salário mínimo enviado pelo Governo. Existem propostas na bancada do partido que elevam o salário para R$ 280, R$ 295 e R$ 300. A proposta que surge na Base Aliada é a sugestão para que o Governo elabore, rapidamente, uma política de recuperação do mínimo a médio e longo prazo.

PFL quer R$ 275
A Executiva Nacional do PFL decidiu nesta quinta, por unanimidade, fechar questão em torno da proposta de salário mínimo em R$ 275. Os parlamentares vão defender em Plenário o relatório do deputado Rodrigo Maia (PFL-RJ), elaborado na Comissão Especial que analisou a Medida Provisória 182/04, enviada pelo Governo.

Excesso de superávit
O líder do PFL na Câmara, deputado José Carlos Aleluia (BA), disse que é possível aumentar o valor do mínimo usando recursos que viriam do excesso de superávit primário realizado pelo Governo. Segundo Aleluia, a economia para pagar juros da dívida está sendo maior que a necessária e o Executivo poderia também cortar outras despesas. "O relator tomou o cuidado, ouvindo os técnicos do PFL e do PSDB, de apresentar uma proposta factível. É evidente que o Governo terá que cortar despesas supérfluas, como por exemplo a nomeação indiscriminada de pessoas sem concurso para cargos de confiança e talvez a suspensão da compra do avião", afirmou o líder.
José Carlos Aleluia acredita que não será preciso ameaçar nenhum parlamentar do partido com punições porque haverá unanimidade na votação contra os R$ 260 do Governo.
A Executiva decidiu ainda que os deputados e senadores do PFL estarão livres para votar outras propostas que possam surgir, de valor ainda superior aos R$ 275.

PMDB ainda não se decidiu
O PMDB, aliado com o qual o Governo conta para manter o valor anunciado, deve decidir na próxima semana se acompanha os R$ 260 ou se defende um mínimo diferente. A bancada vai se reunir nos próximos dias com o ministro da Previdência, Amir Lando, para saber o impacto de um aumento nas contas da previdência. A votação da medida provisória do salário mínimo deverá ser realizada em 15 dias.



Reportagem - Keila Santana
Edição - Ana Felícia


Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Sexta, 18 de Agosto de 2017
Quinta, 17 de Agosto de 2017
21:14
Loteria
10:00
Receita do dia
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)