Cassilândia, Quinta-feira, 16 de Agosto de 2018

Últimas Notícias

21/05/2018 14:30

Sai exoneração de sargento alvo de operação de cargo de assessor

No sábado (19) o desembargador Paschoal Carmello Leandro concedeu habeas corpus ao sargento

Campo Grande News

O sargento da Polícia Militar Ricardo Campos Figueiredo, 42 anos, preso na “Operação Oiketikus”, foi exonerado a pedido do cargo de assessor. A exoneração foi publicada no Diário Oficial do Estado desta segunda-feira (21), no entanto, o Campo Grande News já havia divulgado o fato na sexta-feira (18).

Ele foi preso em flagrante por posse de arma ilegal de uso restrito e obstrução da Justiça em Campo Grande. No entanto, o desembargador Paschoal Carmello Leandro concedeu habeas corpus ao sargento, que saiu do Presídio Militar da Capital no sábado (19).

O flagrante por obstrução à Justiça foi registrado, segundo o Gaeco (Grupo de Atuação Especial e Combate ao Crime Organizado), porque o sargento teria destruído dois celulares com a intenção de ocultar possíveis provas no momento que a equipe fazia buscas na casa do militar.

O promotor Fernando Martins Zaupa foi quem testemunhou o momento que a PM teria danificado os aparelhos. No auto de prisão em flagrante, ele relata ter ouvido o barulho que parece com algo sendo quebrado e em seguida, o sargento deixou o banheiro com aparelhos, alegando que estavam quebrados desde o dia anterior.

Além do sargento, também foi publicado no Diário Oficial de hoje, que o soldado Alisson José Carvalho de Almeida foi licenciado para tratamento de saúde. Ele também está entre os 18 praças presos na “Máfia do Cigarro”.

Corrupção - A Operação Oiketikus foi deflagrada na manhã de quarta-feira em 14 municípios de Mato Grosso do Sul. A maioria estava localizada na rota do contrabando de cigarros. A força-tarefa do Gaeco (Grupo de Atuação Especial e Combate ao Crime Organizado) cumpriu 45 mandados de busca e apreensão com apoio da Corregedoria da PM.

A remuneração dos envolvidos varia de R$ 1,9 mil a R$ 22,8 mil. Somente os salários dos três oficiais envolvidos, juntos, chegam em cerca de R$ 65 mil. As remunerações dos sargentos Clayton de Azevedo e Jhondinei Aguilera, que era comandante de um grupamento no distrito de Boqueirão, em Jardim, não constam no Portal da Transparência.

Todos os presos estão no Presídio Militar, no Complexo Penitenciário do Jardim Noroeste. O governo tirou as funções de confiança dos fociais. O tenente-coronel Luciano Espíndola da Silva, que era o comandante da 1ª Companhia de Bonito, além de ser dispensado da função de confiança, teve a transferência decretada para o Comando-Geral da PM.

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Quinta, 16 de Agosto de 2018
10:00
Receita do dia
Quarta, 15 de Agosto de 2018
09:00
Santo do dia
06:30
Dia de Sorte
Terça, 14 de Agosto de 2018
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)