Cassilândia, Sexta-feira, 24 de Fevereiro de 2017

Últimas Notícias

19/08/2012 16:10

"Rezei o tempo todo", diz vítima de roubo em que bandido foi morto

Paula Vitorino, Campo Grande News

Nas sete horas em que ficou sob a mira de duas armas, o caminhoneiro de 34 anos vítima do assalto em que um bandido foi morto conta que chegou a ter certeza de que seria morto e rezou, confessando os pecados.

“Eu fiquei rezando o tempo todo. O ladrão disse que ia me matar porque eu tinha visto o rosto de muita gente e ficava sempre com as duas armas apontadas para o meu rosto, parecia que estava fazendo roleta-russa”, diz.

Ele foi deixado no cativeiro, um matagal às margens da BR-163, em Campo Grande, com um dos ladrões o vigiando. A prece da vítima chegou a incomodar o bandido, mas ainda assim o caminhoneiro continuou confiante.

“Ele perguntou o que estava cochichando e eu disse que estava rezando. Passou um tempo e acho que ele ficou incomodado de novo e perguntou o que eu ainda estava falando e respondi que, já que ia morrer, estava confessando meus pecados, que são muitos”, conta.

Os momentos de pânico terminaram por volta da 1h30 da madrugada de hoje, quando policiais descobriram o local e o bandido fugiu sem provocar nenhum ferimento no caminhoneiro.

“Talvez se tivesse demorado mais uns 40 minutos eu tinha morrido”, diz. Ele foi encontrado de bermuda, descalço e sem camisa.

O bandido, que só foi identificado até agora pelo apelido de “gordinho”, foi morto pelos policiais durante perseguição no matagal. Ele estava com uma pistola e um revólver calibre 38, mas apenas o revólver foi encontrado.

A Polícia chegou até o cativeiro depois do comparsa do bandido ser interceptado pela Polícia Rodoviária Federal em posto próximo a Ponta Porã. Diocledes Bispo de Jesus, de 28 anos, tentava levar o caminhão até o Paraguai para vender o veículo.

Frete falso - O sequestro começou com um contrato de frete, proposto em Cuiabá (MT). O caminhoneiro conta que estava voltando de um frete e passou pela cidade, quando um homem, conhecido de outros caminhoneiros, passou o contato de uma pessoa de Campo Grande, que seria “um bom contratante de frete”.

O caminhoneiro encontrou o contratante no posto Caravágio, na BR-163, de onde partiu para o falso frete de equipamentos de frigorífico, que deveria ser entregue no interior de São Paulo.

A vítima e dois “chapas”, como chamam quem vai junto com o frete para ajudar a descarregar a carga, seguiram por cerca de 3 km até que um deles disse que precisa ir ao banheiro e logo em seguida anunciou o assalto.

Os bandidos disseram que iam levar o caminhão para Ponta Porã, mas como o veículo estava sem diesel suficiente resolveram passar antes na casa da esposa de um dos autores, em Campo Grande. Eles pegaram R$ 400 para abastecer e seguiram a viagem.

O caminhoneiro e um dos chapas ficaram no cativeiro enquanto Diocledes seguiu com o caminhão para o Paraguai.

Mudar de profissão - O caminhoneiro conta que o caminhão Mercedes 112 já é antigo e acredita que foi o escolhido para o assalto por acaso.

“Acho que precisavam de um caminhão para levar e acabou sendo eu, por acaso”, diz.

Ele é caminhoneiro há 4 anos, mas garante que vai mudar de profissão. “Só quero dirigir um caminhão agora se for da garagem pra calçada”, diz.

Investigação - A vítima diz que nunca foi vítima de outro assalto e também nunca tinha visto um roubo seguido de sequestro dessa forma. “Já trabalhei no nordeste, onde é muito mais perigoso, mas lá pegam o caminhão e largam o motorista”, diz.

O caminhoneiro suspeita que o roubo tenha contado com a participação de mais pessoas e que o homem que conheceu em Cuiabá seja o chefe da quadrilha. “Com certeza não fui a primeira e nem a última vítima”, diz.

O caso foi registrado na Depac (Delegacia de Pronto Atendimento) Piratininga pelo delegado Ivahir Luiz de Campos e deverá ser investigado pela Defurv (Delegacia Especializada de Furtos e Roubos de Veículos). Diocledes está preso em Ponta Porã.

Saiba Mais
Após fazer motorista de carreta refém, bandido é morto pela Polícia

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
Últimas notícias
Scroller Top
Quinta, 23 de Fevereiro de 2017
Quarta, 22 de Fevereiro de 2017
13:30
Cassilândia
10:00
Receita do dia
Terça, 21 de Fevereiro de 2017
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)