Cassilândia, Sexta-feira, 09 de Dezembro de 2016

Últimas Notícias

12/08/2005 06:46

Revelação de Duda Mendonça surpreende parlamentares

Agência Senado

A revelação feita pelo publicitário Duda Mendonça e sua sócia Zilmar Fernandes da Silveira à CPI Mista dos Correios, de que teriam recebido do Partido dos Trabalhadores, de forma irregular, cerca de R$ 15 milhões - dos quais R$ 10 milhões depositados em uma conta bancária nas Bahamas - surpreendeu os parlamentares. Também causou sobressaltos a informação repassada pelos dois de que o próprio tesoureiro do PT, Delúbio Soares, teria sido o idealizador da operação.

- Estou sinceramente chocada com o depoimento. Já não estamos mais falando em caixa 2, em coisa menor, mas na hipótese da campanha do presidente Lula e de outros candidatos do PT terem sido pagas com dinheiro cuja origem é desconhecida. Para ter acesso a essa porta do Ali Babá o abre-te sésamo era "eu vim buscar a encomenda" - afirmou a senadora Heloísa Helena.

Depois que ganhou as páginas das agências, na internet, a notícia de que a campanha do presidente teria sido paga por dinheiro originário nas contas do empresário Marcos Valério Fernandes de Souza, Duda Mendonça pediu para fazer um esclarecimento. Ele disse acreditar que os gastos para as eleições de Lula e do senador Aloízio Mercadante (PT-SP) foram honrados com recursos oficiais e contabilizados. O publicitário informou que é possível confirmar a hipótese fazendo um cruzamento entre as faturas emitidas por sua agência e a contabilidade do PT.

Duda Mendonça, que depôs espontaneamente à CPI - já que para a reunião desta quinta-feira (11) estava prevista apenas a oitiva de Zilmar Fernandes - confessou que resolveu contar toda a verdade dos fatos que envolvem sua empresa depois de sentir-se chantageado ao ler notícia publicada na imprensa mineira de que Marcos Valério teria sugerido investigar uma empresa chamada Dusseldorf, off-shore que teria recebido os R$ 10 milhões nas Bahamas.

Alguns parlamentares, como os deputados Carlos Sampaio (PSDB-SP) e Eduardo Paes (PSDB-RJ), chegaram a sugerir que os fatos poderiam levar à cassação do registro do PT. O senador Alvaro Dias (PSDB-PR) disse que mesmo sem ser esse o seu desejo, as denúncias apresentadas poderão levar ao impeachment do presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

- Bastou um depoimento verdadeiro para o país ser jogado no limiar de uma crise política sem precedentes. Temos que buscar a melhor saída para o país, todas as alternativas devem ser discutidas, lamentavelmente até a do impeachment. A crise se agudizou de tal forma que é possível que se conclua que esta possa ser a melhor alternativa, embora eu não a deseje - comentou Alvaro Dias.

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
Últimas notícias
Scroller Top
Sexta, 09 de Dezembro de 2016
Quinta, 08 de Dezembro de 2016
10:00
Receita do dia
09:00
Maternidade
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)