Cassilândia, Domingo, 30 de Abril de 2017

Últimas Notícias

17/07/2015 16:12

Reunião no TJ discute implantação da audiência de custódia em MS

TJMS

O presidente do Tribunal de Justiça de MS, Des. João Maria Lós, e o Corregedor-Geral de Justiça, Des. Julizar Barbosa Trindade, acompanhados do juiz auxiliar da Presidência do TJMS, Luiz Antonio Cavassa de Almeida, reuniram-se no Salão Pantanal com representantes do Ministério Público, da Defensoria, da Amamsul, da Agepen e das polícias civil e militar para discutir a possibilidade de implantação da audiência de custódia nas 52 comarcas do Estado.

No encontro discutiu-se uma minuta de Provimento que disciplinará a realização das audiências, para que a administração do TJMS conhecesse as dificuldades e as sugestões de cada instituição, além de avaliar os pormenores estabelecidos na minuta. Ao final, os presentes comprometeram-se a enviar sugestões para possíveis alterações eu adaptações para as realidades das comarcas.

O presidente ressaltou que a implantação da audiência de custódia é uma exigência do Conselho Nacional de Justiça para que o juiz examine exclusivamente a legalidade da prisão em flagrante. Para quem não conhece, a proposta de audiência de custódia foi lançada em fevereiro pelo CNJ para ser uma garantia da rápida apresentação do preso a um juiz nos casos de prisões em flagrante.

A ideia é que o acusado seja apresentado e entrevistado pelo juiz, em uma audiência em que serão ouvidas também as manifestações do Ministério Público, da Defensoria Pública ou do advogado do preso. Na audiência, analisa-se a legalidade da prisão, sua necessidade, além da adequação da continuidade da prisão ou de eventual concessão de liberdade, com ou sem a imposição de outras medidas cautelares.

O rascunho do provimento estabelece, entre outras coisas, que a audiência de custódia (com prazo para realização de 24 horas após o recebimento do comunicado de prisão) poderá ser realizada na sala de audiências do juiz competente, ou ainda por videoconferência – sendo esta medida excepcional.

No texto da minuta considera-se também as disposições da Lei nº 12.403/2011, quando se impôs ao juiz a obrigação de converter a prisão em flagrante delito em prisão preventiva, se não for caso de relaxamento ou concessão de liberdade provisória, com ou sem medida cautelar.

A implantação da audiência de custódia está de acordo com pactos internacionais assinados pelo Brasil, como o Pacto Internacional de Direitos Civis e Políticos e a Convenção Interamericana de Direitos Humanos, conhecida como Pacto de São José da Costa Rica.

Participaram da reunião, além dos desembargadores e do juiz auxiliar da presidência do TJMS, Júlio Cesar Souza Rodrigues, presidente da OAB/MS; Carmen Silvia Almeida Garcia, 2ª Subdefensora Pública-Geral de MS; Guilherme Cambraia de Oliveira, Defensor Público; Luiz Felipe Medeiros Vieira, presidente da Amamsul; Alexandre Magno Benites de Lacerda, chefe de gabinete da Procuradoria-Geral de Justiça, Francisco Neves Jr., Coordenador Criminal do Ministério Público, Roberval Maurício Cardoso Rodrigues, Delegado-Geral da Polícia Civil; José Renato Hojas Lofrano, Corregedor Regional da Polícia Federal; Ailton Stropa Garcia, Diretor-Presidente da Agepen; Helton Fonseca Bernardes, secretário-Adjunto da Sejusp; Rafael Garcia Ribeiro, superintendente de Políticas Penitenciárias da Sejusp; Márcio Rogério Faria Custódio, delegado de Polícia Civil; Gustavo Henrique Pinheiro Silva, Defensor Público, além de representantes da Polícia Militar.

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Sábado, 29 de Abril de 2017
Sexta, 28 de Abril de 2017
10:00
Receita do dia
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)