Cassilândia, Quinta-feira, 14 de Dezembro de 2017

Últimas Notícias

08/08/2008 22:44

Resultado de referendo pode aumentar tensão na Bolívia

Ana Luiza Zenker /ABr

Brasília - Dependendo do resultado obtido nas urnas no referendo que vai ser realizado no próximo domingo (10) na Bolívia, o país pode enfrentar problemas jurídicos. Isso é o que afirma o professor do Instituto de Relações Internacionais da Universidade de Brasília (IRel/UnB), Virgílio Caixeta Arraes.

Isso porque, segundo ele, existem duas interpretações sobre a lei que determinou o referendo revogatório de mandato, que vai consultar a população boliviana sobre a manutenção ou não dos governadores e do presidente no poder. De acordo com o professor, a base governista entende que, para ter o seu mandato interrompido, cada uma das autoridades que vai ser submetida à votação deve ser rejeitada por um percentual de votos maior do que o obtido na eleição de dezembro de 2005. No caso de Morales, esse percentual seria de 54%.

A Corte Nacional Eleitoral (CNE) entende, entretanto, que seriam necessários 50% dos votos mais um para interromper os mandato dos governadores das províncias bolivianas, que em geral receberam um percentual de votos inferior a 50% na ocasião.

“Então isso pode acirrar a tensão política, na medida que teria resultados práticos, ou seja, a confirmação ou não de vários governantes no poder”, diz Virgílio Arraes. Para ele, esse imbróglio pode avançar por um bom tempo, especialmente se houver um resultado desfavorável para os governadores, mas que deixe em aberto uma dupla interpretação. “Vai ser mais um embate entre o governo Morales e alguns dos governadores”, completa.

Apesar desse possível imbróglio jurídico, Arraes acredita que seria uma vitória política para Morales a revogação do mandato dos governadores de oposição. “Teria uma diminuição da tensão que já há meses desgasta a população”, diz.

Além desse risco, o especialista afirma que é grande a possibilidade de haver manifestações de violência em alguns departamentos, como se viu nos últimos dias. “Há uma tensão bastante grande, mas espera-se que tanto o governo presidencial quanto os governos estaduais orientem bem os seus órgãos de segurança para que a população seja protegida, resguardada dessa hostilidade entre militantes políticos”, acrescenta.

Outra preocupação do analista é a recorrência, na América Latina, de que um dos lados use de golpes de Estado ou mesmo do assassinato de governantes em impasses como o que ocorrem na Bolívia. “É algo que se espera que não aconteça mais aqui no continente”.

Virgílio Arraes explica que a tensão boliviana é decorrente da divisão dos recursos obtidos com o petróleo e o gás natural: “É briga por dinheiro, essencialmente. A partir da vitória do candidato Morales, agora presidente, a presidência boliviana quis efetuar uma nova reforma tributária e a partir daí os conflitos começaram, ainda mais em um momento em que houve uma escalada dos preços dos combustíveis fósseis, o que reforçaria o poder político do presidente, a partir do momento em que ele dispõe mais dinheiro para cumprir o seu programa”.

Para o analista, uma diminuição na tensão, caso o mandato de Morales seja revogado, dependeria do resultado de uma nova eleição que teria que ser realizada, já que existe uma divisão política acentuada no país. “Mesmo que houvesse uma não-confirmação dele no cargo, provavelmente a base política teria condições de influenciar o parlamento a manter algumas das políticas adotadas até o momento”, afirma.


Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Quinta, 14 de Dezembro de 2017
21:14
Loteria
10:00
Receita do dia
Quarta, 13 de Dezembro de 2017
10:00
Receita do dia
Terça, 12 de Dezembro de 2017
20:48
Loteria
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)