Cassilândia, Segunda-feira, 05 de Dezembro de 2016

Últimas Notícias

23/02/2006 09:51

Respeito à LRF impede realização de concurso no TCE/MS

assessoria

O presidente do Tribunal de Contas de Mato Grosso do Sul (TCE/MS), José Ancelmo dos Santos, comunicou a imprensa esta semana que o cumprimento rigoroso dos limites de gastos com a folha de pessoal, previstos na Lei de Responsabilidade Fiscais (LRF), impede a realização do concurso para auditores fiscais que estava em estudo para ser realizado este ano. Ancelmo confirma a necessidade de ampliação do quadro de técnicos e auditores, lembrando que há 15 anos o Tribunal não promove seleção para novas contratações. De acordo com ele, “o TCE trabalha hoje com apenas 62 auditores, quando o quadro previsto para técnicos e auditores é de 188 cargos, havendo portanto 126 vagas a serem preenchidas”.
De acordo com Ancelmo, a contratação de mais 50 auditores fiscais com salário mensal de aproximadamente R$ 6 mil custaria ao Tribunal R$ 300 mil por mês. “Para honrar estes salários nós ficaríamos fora dos parâmetros da LRF que prevê um limite máximo de 1,32% em relação à RCL do Estado e um limite prudencial de 1,25%” explica. Ele lembra que hoje a despesa do TCE com pessoal é da ordem 1,27% em relação à receita do Estado, estando próxima do limite legal. "Ultrapassar este índice seria, no mínimo, uma incoerência, pois o TCE fiscaliza a aplicação de recursos de órgãos públicos dentro do limites da LRF e deve continuar dando exemplo", acrescentou.
Segundo ele, outro fator complicador para a realização do concurso este ano é a obrigatoriedade, em função da legislação eleitoral, de se realizar o concurso e nomear os aprovados até o dia 01 de julho, o que, na sua avaliação, é um prazo bastante restrito para a realização de um concurso deste porte. “O ano que vem não haverá eleições, havendo maior flexibilidade para a organização e realização do concurso”, afirma.
Ancelmo lembra ainda que quando assumiu a presidência do Tribunal, os salários de praticamente todas as categorias funcionais estavam defasados e, neste período de três anos, foram promovidas diversas correções salariais que aproximaram o Tribunal do limite prudencial da LRF. “Além disso, maio deste ano é a data-base dos funcionários e nós devemos realizar ainda algum tipo de reposição salarial, fato que vai comprometer ainda mais o nosso limite", justificou.
PROMOEX - Outro fator que contribui para suspender a realização do concurso foi a proximidade da assinatura do contrato com Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), para implantação do Programa de Modernização do Controle Externo dos Tribunais de Contas dos Estados e Municípios (Promoex). “Como é comum nestes casos, deve ocorrer imediatamente uma auditoria para levantamento das necessidades e potencialidade do Tribunal, visando subsidiar um plano de trabalho”, afirma. Ele acredita que este levantamento será realizado principalmente no setor de pessoal, sendo prudente aguardar o resultado antes de se ampliar o quadro de auditores.
De acordo com Ancelmo, do TCE/MS deve ser contemplado com aproximadamente R$ 5 milhões do Promoex, além de ser beneficiado com as ações de integração que serão promovidas entre os Tribunais de Contas. O Programa será executado com recursos de financiamento oriundos do Acordo de Empréstimo firmado entre o Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão (MP) e o Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), transferidos mediante convênio a ser firmado entre o TCE e o MP, com contrapartida do Tribunal. Ancelmo acredita que até março deste ano o convênio deve assinado, para início imediato das ações.
José Ancelmo, acredita que o próximo presidente do TCE/MS terá condições de realizar o concurso porque a arrecadação estadual deve crescer neste período, com consequente incremento no duodécimo destinado ao custeio do Tribunal. “Com este incremento do duodécimo e com os salários já dentro de patamares realistas acredito que o ano que vem será possível aumentar o quadro de servidores do TCE sem desrespeitar a LRF”, afirmou.

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
Últimas notícias
Scroller Top
Segunda, 05 de Dezembro de 2016
Domingo, 04 de Dezembro de 2016
09:00
Maternidade
Sábado, 03 de Dezembro de 2016
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)