Cassilândia, Domingo, 17 de Dezembro de 2017

Últimas Notícias

18/03/2005 10:34

Resolução prorroga dívida rural por até 3 anos

Fernanda Mathias/Campo Grande News

Saiu na edição desta sexta-feira do DOU (Diário Oficial da União) a resolução do Banco Central que prorroga pelo período de até três anos o vencimento de prestações contratadas junto ao BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social) por produtores que tiveram suas lavouras gravemente afetadas pela estiagem prolongada. O decreto abrange as parcelas vencidas e vincendas de 2005 em créditos para investimento relativos às culturas de soja, algodão, arroz, milho e trigo.
São dois os prazos de prorrogação do pagamento do crédito equalizado, dependendo da situação do produtor. De até um ano para casos dos que estão em municípios reconhecidos pela União como em situação de emergência ou calamidade. Hoje, em Mato Grosso do Sul, já publicaram estado de emergência 15 municípios e outros cinco indicaram que seguirão pelo mesmo caminho.
De até três anos será a prorrogação na ocorrência de reconhecida dificuldade para comercialização dos produtos agrícolas em virtude dos preços e comprovada perda de renda decorrente da estiagem em imóveis rurais não abrangidos pelos decretos de situação de emergência.
Conforme prevê o decreto, as prorrogações só ocorrerão em caso comprovado de incapacidade de pagamento das dívidas contraídas e com análise caso a caso. Os prazos para pedido de prorrogação são os seguintes: até 15 de abril, para parcelas vencidas ou vincendas até 30 de abril; até 15 dias antes do vencimento, para prestações vincendas em maio e até o dia 31 de maio para as demais prestações vincendas este ano. Medidas complementares à prorrogação de prazos ficarão à cargo do Mapa (Ministério da Agricultura, Abastecimento e Pecuária).
No ano passado 17,5% dos contratos de crédito rural fechados com o Banco do Brasil em Mato Grosso do Sul para a safra 2003/2004, o que corresponde a R$ 84,8 milhões. O problema também foi a estiagem. Do crédito liberado pelo governo para custeio de safra, cerca de 40% são do FCO (Fundo Constitucional de Financiamento do Centro-Oeste) e o restante de outras fontes, especialmente o BNDES. Vários produtores contratam um "mix" de crédito subsidiado e não subsidiado pelo governo.
Desta vez o problema se soma às questões de mercado. Quando o crédito foi tomado pelos produtores, o dólar estava a R$ 3,00 e hoje está a R$ 2,60, desvalorização do preço do produto nas exportações ao mesmo tempo em que o insumo estava mais caro. O preço interno da commodity, acompanhando a superprodução mundial, despencou de um patamar de R$ 50,00, em meados de abril do ano passado, para menos de R$ 30,00.

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Domingo, 17 de Dezembro de 2017
Sábado, 16 de Dezembro de 2017
Sexta, 15 de Dezembro de 2017
10:00
Receita do dia
Quinta, 14 de Dezembro de 2017
21:14
Loteria
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)