Cassilândia, Terça-feira, 29 de Setembro de 2020

Últimas Notícias

01/12/2003 08:11

Renda per capita familiar não é o único meio de prova

Roberta Bastos/STJ

A comprovação de renda per capita familiar superior a um quarto do salário mínimo não exclui condição de miserabilidade, podendo haver outros meios de prova dessa condição em cada caso concreto. Neste sentido decidiu a Turma Nacional de Uniformização da Jurisprudência dos Juizados Especiais Federais no processo 2002.70.0900.7310-0. A sessão de julgamento foi realizada em Florianópolis (SC), durante o Encontro Nacional dos Juízes Federais.

No incidente de uniformização apresentado à Turma, a autora, argumentou que a Turma Recursal do Paraná, que lhe negou o benefício de amparo assistencial, por considerar que a sua renda per capita era superior a um quarto do salário mínimo, divergiu da jurisprudência do Superior Tribunal de Justiça e do Tribunal Regional Federal da 4ª Região. O limite da renda per capita familiar é fixado pela Lei n. 8.742/93 para a comprovação da condição de miserabilidade, requisito para a concessão de benefício assistencial.

A jurisprudência desses Tribunais é no sentido de que a comprovação de renda familiar superior a um quarto do salário mínimo não exclui a condição de miserabilidade. Como paradigmas, foram citados acórdãos do STJ nos RESP 435.871/SP; AGA 419.145/SP; RESP 397.943/SP; RESP 288.742/SP; AGA 227.163/SP e AGA 311.369/SP.

No processo examinado pela Turma Nacional, a autora é portadora de hipertensão e seu cônjuge tem uma renda de apenas um salário mínimo (R$ 240,00). Mas, apenas para a compra de remédios, ela tem de gastar R$ 180,00 por mês, sobrando à sua família apenas R$ 60,00 para prover o restante do seu sustento. Neste caso, a Turma Nacional entendeu que esses elementos comprovam a condição de miserabilidade, ainda que a renda per capita familiar seja superior ao limite legal. O conhecimento e o provimento do recurso foram concedidos por unanimidade. O relator do processo foi o juiz federal Leomar Amorim.

"A renda familiar per capita inferior a 1/4 do salário-mínimo deve ser considerada como um limite mínimo, um quantum objetivamente considerado insuficiente à subsistência do portador de deficiência e do idoso, o que não impede que o julgador faça uso de outros fatores que tenham o condão de comprovar a condição de miserabilidade da família do autor", diz o acórdão da 5ª Turma do STJ, de 21/10/2002, no Recurso Especial 435.871/SP.

A Turma Nacional funciona junto ao Conselho da Justiça Federal (CJF), sendo presidida pelo coordenador-geral da Justiça Federal, ministro Ari Pargendler, e composta por 10 juízes provenientes das Turmas Recursais dos Juizados Especiais Federais, sendo 2 de cada Região da Justiça Federal.

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Terça, 29 de Setembro de 2020
11:00
Corrida/Nutrição/Fitness
Segunda, 28 de Setembro de 2020
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)