Cassilândia, Quarta-feira, 22 de Novembro de 2017

Últimas Notícias

31/03/2009 07:55

Remédios sofrem alta a partir de hoje

Douradosagora

Cerca de 20 mil medicamentos comercializados no país vão ser reajustados em até 5,9% a partir de hoje. Entre os que terão aumento, estão os de uso contínuo. Ficam fora dessa lista apenas os homeopáticos, os fitoterápicos e os cerca de 400 medicamentos com grande concorrência de mercado, a exemplo daqueles que são usados para dor de cabeça (Dipirona, Doril). O Preço Máximo ao Consumidor (PCM) não poderá ser ultrapassado pelo período de um ano, ou seja, até março de 2010.
Com a determinação da Câmara de Regulação do Mercado de medicamentos (CMED), vinculada à Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), para que a empresa faça esse aumento é necessário que apresente à câmara um relatório de comercialização, informando os preços que pretendem cobrar, após a correção autorizada. As empresas que não entregarem o relatório ou reajustarem os preços acima do valor estipulado pela câmara podem ter de pagar uma multa, que varia de R$ 212 a R$ 3,2 milhões.
O alta dos preços está prevista na legislação que determina que as empresas têm direito a um reajuste no mês de março. O conceito do preço teto leva em consideração principalmente o IPCA (Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo), medido pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) que deu 5,9% neste ano. Em 2008, o CMED estabeleceu três faixas de reajuste, sendo a maior delas de 4,61%.
A avaliação de comerciantes e associações do setor farmacêutico é de que os consumidores vão sentir mais depressa o reajuste. Isso porque nos anos anteriores quando o aumento era anunciado pela CMED, grande parte dos comerciantes recorriam à estratégia de comprar grande estoque dos remédios mais vendidos, antes que subissem. Dessa forma, repassavam aos clientes o preço antigo após o reajuste.
Como as pequenas farmácias não têm o mesmo poder de barganha das grandes drogarias, que podem negociar diretamente com as indústrias, esses estabelecimentos estão tendo que comprar com prazos mais curtos e encontrando poucos medicamentos com desconto. Por conta disso, não conseguem ficar sem repassar o aumento para o cliente por muito tempo.

Fonte: Douradosagora

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Terça, 21 de Novembro de 2017
Segunda, 20 de Novembro de 2017
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)