Cassilândia, Segunda-feira, 18 de Dezembro de 2017

Últimas Notícias

08/07/2005 14:43

Remédios manipulados poderão ter bula

As farmácias de manipulação e os estabelecimentos que vendem ervas medicinais poderão ser obrigados a incluir em seus medicamentos uma bula com informações detalhadas. É o que determina o Projeto de Lei (PL) 5323/05, apresentado à Câmara pelo deputado Coronel Alves (PL-AP). O objetivo da proposta é dar mais segurança ao consumidor desse tipo de produto.
O deputado observa que no Brasil ainda é comum o uso de medicamentos manipulados sem prescrição médica e sem a indicação do profissional farmacêutico responsável pela manipulação das substâncias. Segundo Coronel Alves, o projeto regulamenta a atividade e permite que os profissionais com formação específica possam atuar no ramo. "A farmácia de manipulação oferece assistência farmacêutica individualizada ao paciente, sendo indispensável uma bula com informações mais generalizadas", defende o parlamentar.

Informações
O projeto estabelece que os medicamentos manipulados devem trazer no rótulo as seguintes informações:
- nomes do prescritor e do paciente;
- número de registro da formulação no Livro de Receituário;
- data da manipulação e prazo de validade;
- componentes da formulação com as respectivas quantidades, o número de unidades, o peso ou volume contido e a indicação das doses;
- identificação da farmácia (com o Cadastro Nacional de Pessoa Jurídica - CNPJ, endereço completo, nome do farmacêutico responsável com o respectivo número de registro no Conselho Regional de Farmácia).
Na bula, o farmacêutico deverá inserir uma série de indicações para o uso correto do medicamento.

Retenção proibida
O projeto proíbe ainda a retenção de receitas e intermediações de fórmulas entre farmácias e drogarias, para garantir ao paciente o direito de ter informações não só pela bula, mas também pelo farmacêutico que fez seu medicamento. "Como a prática de intermediação é comum, embora proibida pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), faz-se necessário o estabelecimento dessa vedação em lei federal", argumenta Coronel Alves.

Reportagem - Luiz Claudio Pinheiro
Edição - Noéli Nobre

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Domingo, 17 de Dezembro de 2017
10:00
Receita do dia
Sábado, 16 de Dezembro de 2017
Sexta, 15 de Dezembro de 2017
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)