Cassilândia, Sábado, 03 de Dezembro de 2016

Últimas Notícias

30/03/2006 08:19

Relator confirma 'mensalão'

Agência Câmara

O relatório final da Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPMI) dos Correios, apresentado nesta quarta-feira pelo deputado Osmar Serraglio (PMDB-PR), concluiu que o esquema de "mensalão" existiu de fato e recomendou o indiciamento de 120 pessoas. Um pedido de vista coletivo adiou para a próxima terça-feira (4) a votação do relatório, que tem 1.828 páginas e foi lido resumidamente por Serraglio.

Veja abaixo os principais itens do relatório:

Provas do mensalão – depois de quase dez meses de investigação, a CPMI concluiu que o mensalão não deve ser classificado como caixa dois, mas como um efetivo pagamento de mesada a deputados da base governista. "É reduzir-se em demasia a inteligência dos brasileiros imaginar que será bastante dizer que os milhões não foram distribuídos a parlamentares, mas sim corresponderiam a caixa dois de campanhas", afirmou Osmar Serraglio.
O esquema, disse o relator, falsificou notas fiscais, fez empréstimos de fachada e se utilizou de contabilidade fraudulenta. "Foram apreendidas mais de 10 mil notas fiscais nos escritórios de Marcos Valério, além de livros contábeis com informações falsas", afirmou.

Indiciamento de deputados – os 18 deputados que também receberam recursos de Marcos Valério foram citados no documento, mas o texto foi considerado ambíguo por alguns parlamentares, que levantaram dúvidas sobre a recomendação do indiciamento. No relatório, Serraglio diz que não teve como avaliar a documentação que sustentou as defesas posteriores ao encaminhamento dos nomes dos parlamentares e que eles "podem ter cometido crime eleitoral e de sonegação fiscal".

Publicidade – de acordo com o relator, os dados apurados demonstram que houve favorecimento das empresas de Marcos Valério nos contratos de publicidade com o Governo Federal. "A lógica do modelo adotado contribuiu para aumentar os gastos públicos com os contratos de publicidade oficial", destacou. O documento aponta as empresas Visanet, Brasil Telecom, Usiminas e Cosipa como fontes dos recursos do esquema organizado pelo PT e por Marcos Valério. Os empréstimos feitos pelo partido, no valor de R$ 55 milhões, no Banco Rural e BMG, seriam, segundo o relatório, "mera formalidade contábil e financeira" para a montagem de uma farsa destinada a mascarar a origem dos recursos.

Prejuízo dos Correios – ao apresentar suas conclusões sobre a rede postal noturna, o relator afirmou que os prejuízos dos Correios são estimados em R$ 100 milhões entre 2000 e 2005. "Por vários ângulos, torna-se patente o superfaturamento dos contratos, revelado por exame cuidadoso das planilhas de custos das empresas, contrastadas com os preços praticados ao longo do tempo", destacou Serraglio, que considerou imprescindível o aprofundamento das investigações, para identificar todos os participantes e beneficiários desse esquema.

Prejuízo do IRB – o relator informou que a análise de dados no cruzamento de informações financeiras mostraram que o "valerioduto" causou um prejuízo de 438 milhões de dólares (cerca de R$ 1 bilhão) ao Instituto de Resseguros do Brasil (IRB). O cruzamento foi feito com base em informações do Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf), da Receita Federal e do Sistema Integrado de Acompanhamento Financeiro (Siafi). "O que podemos concluir é que houve omissão das autoridades na investigação do caso", disse Serraglio.

Balanço – ao fazer o balanço dos trabalhos da CPMI, o relator disse que foram analisados cerca de 20 milhões de registros bancários e 33,8 milhões de registros telefônicos. Os contratos dos Correios e do Banco do Brasil com empresas de publicidade, disse, foram minuciosamente examinados. "Mais de 68 mil contratos dessa modalidade foram integrados à base de dados", afirmou.




Da Reportagem

Edição – Wilson Silveira

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
Últimas notícias
Scroller Top
Sábado, 03 de Dezembro de 2016
10:00
Receita do Dia
06:50
Loterias
Sexta, 02 de Dezembro de 2016
10:00
Receita do Dia
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)