Cassilândia, Quinta-feira, 14 de Dezembro de 2017

Últimas Notícias

23/11/2017 11:15

Reinaldo diz que reforma é necessária e tem de enfrentar desgaste com servidores

Protestos de servidores na Assembleia impediram votação de projeto

Midiamax

O governador Reinaldo Azambuja (PSDB) afirmou, durante agenda púbica na manhã desta quinta-feira (23), que a reforma da previdência dos servidores é necessária para que o Estado não fique em dívida com os cerca de 27 mil inativos.

“Esta questão não pode ser politizada. É uma questão essencialmente técnica”, afirmou o governador, que disse ainda ter tranquilidade para ‘fazer o que é necessário’, sem se preocupar ‘com o desgaste’ político que a medida possa acarretar.

Azambuja destacou que já existe um déficit mensal na previdência estadual, e que se medidas não fosse adotadas pelo governo, Mato Grosso do Sul correria o risco de igualar ao Estado do Rio de Janeiro, que tem atrasado o pagamento de salário do funcionalismo público.

O Chefe do Executivo Estadual destacou que é preciso ‘dizer a verdade’ sobre o assunto, e frisou que este é o momento certo para a Assembleia aprovar o projeto de reforma, encaminhado por ele ao legislativo.

Outro ponto citado pelo governador foi o fato que os Estados terão que se adequar à regra nacional, em discussão no Congresso Nacional.

A Assembleia aprovou ontem, quarta-feira (22), em primeira votação, o projeto que aumenta contribuição do servidor com previdência, de forma escalonada, até 2020, quando percentual chegará a 14% do salário do bruto. A participação do Estado também sobe de 22% para 28%.

Protestos
O governador destacou que todos têm direito de protestar, mas garantiu que o projeto encaminhado à Assembleia não retira direitos, e ainda evita que Mato Grosso do Sul fique inadimplente com o servidor.

Sobre o protesto na Assembleia, que acabou por suspender a sessão que poderia aprovar, em definitivo, a mudança na previdência, Reinaldo disse que os representantes dos mais de 70 mil servidores do Estado não quiseram dialogar com o governo.

“O problema que está ali é política. Já discutimos com eles, não querem o entendimento. Querem o conflito, a politicagem. Então, ali existe questão de política e não vou deixar de tomar uma atitude que é para garantir o cumprimento das obrigações do Estado por essasquestão, porque se tivesse igual o servidor do Rio (de Janeiro) na fila para receber salário ou cesta básica, talvez não estivessem na Assembleia politizando isso”, finalizou.

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Quinta, 14 de Dezembro de 2017
10:00
Receita do dia
Quarta, 13 de Dezembro de 2017
10:00
Receita do dia
Terça, 12 de Dezembro de 2017
20:48
Loteria
Segunda, 11 de Dezembro de 2017
20:42
Loteria
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)