Cassilândia, Sexta-feira, 25 de Maio de 2018

Últimas Notícias

13/01/2008 09:50

Regras para identificação de recém-nascido nos hospitais

Agência Câmara

A Câmara analisa a criação de procedimentos rigorosos para identificação e segurança de recém-nascidos nos hospitais e nas maternidades públicas. O Projeto de Lei 1067/07, do deputado Miguel Martini (PHS-MG), obriga hospitais e maternidades públicas a colocar, no recém-nascido e na mãe, pulseiras com gravação numérica inviolável, lacrada e indelével.

De acordo com a proposta, a pulseira deverá ser colocada imediatamente após o nascimento da criança, na sala e na presença de toda a equipe que tenha realizado o parto. Além disso, as pulseiras somente poderão ser retiradas após a saída da mãe e do filho do hospital.

No caso de falha desses procedimentos e se não houver meio mais econômico para identificação do recém-nascido, será realizado exame do DNA para apontar quem é a mãe, e imediatamente será colocado novo par de pulseiras na mãe e na criança.

Precisão
O parlamentar lembra que as trocas ocorrem principalmente quando os recém-nascidos são levados da sala de parto para a sala de assepsia, onde são limpos e posteriormente identificados, juntamente com outros bebês. "Em meio a tantos recém-nascidos, torna-se impossível aos funcionários identificá-los com absoluta precisão", ressalta, informando que a estimativa é que, no Brasil, ocorra uma troca a cada seis mil partos.

Por isso, o deputado sugere que a identificação seja feita ainda na sala de parto, "por meio do clamp que será preso ao cordão umbilical e que somente se soltará quando o umbigo do recém-nascido cair, ou seja, em quatro ou cinco dias, quando provavelmente ele e a mãe já estarão em casa".

Segundo Martini, o sistema atual muitas vezes identifica mães e recém-nascidos por inscrições em tiras de papel inseridas no interior das pulseiras. "Temos de ressaltar que esse papel pode soltar-se e, nesse caso, teremos bebês com pulseiras, mas não saberemos a identidade da mãe", avalia. Por isso, o deputado propõe que as pulseiras devam estar seqüencialmente numeradas, contendo o mesmo número para a mãe e para o recém-nascido.

Controle de circulação
Os hospitais e as maternidades públicas serão obrigados, de acordo com a proposta, a adotar identificação rigorosa e controle do fluxo de pessoas que circulam em suas dependências. Aos hospitais também caberá o alerta aos pais e acompanhantes sobre as normas internas e os procedimentos de segurança.

O projeto concede dois anos, a partir da publicação da lei, para que os hospitais e as maternidades públicas se adeqüem aos novos procedimentos.

Tramitação
A proposta será analisada em caráter conclusivo pelas comissões de Seguridade Social e Família; e de Constituição e Justiça e de Cidadania.

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Quinta, 24 de Maio de 2018
10:00
Receita do dia
Quarta, 23 de Maio de 2018
10:00
Receita do dia
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)