Cassilândia, Terça-feira, 24 de Janeiro de 2017

Últimas Notícias

02/07/2007 15:23

Registrar arma de fogo ficou mais barato

Ministério da Justiça

Prazo maior e taxas menores foram as medidas que o governo federal encontrou para estimular o recadastramento de armas de fogo. O objetivo do governo é ter o controle efetivo de todas as armas em circulação no país, desde a fabricação até a destruição. O prazo para o recadastramento foi ampliado para o dia 31 de dezembro deste ano. O valor cobrado para caiu de R$ 300 para R$ 60 por arma.



A alteração está determinada em Medida Provisória publicada no Diário Oficial da União de sexta-feira (29/06). Outra novidade é a isenção da taxa e dos testes psicotécnicos para os proprietários de armas de cano longo de alma raiada, calibre igual ou inferior a 22 e de alma lisa, calibre igual ou inferior a 16. Esse tipo de armamento são as espingardas usadas pela população rural na defesa da propriedade e na caça para subsistência.



Da mesma forma, os policiais, magistrados, promotores e agentes penitenciários estão isentos da taxa e poderão portar a arma de fogo fornecida pela instituição ou de propriedade particular, mesmo fora de serviço.



A Polícia Federal, responsável pelo Sistema Nacional de Armas (Sinarm), também restringiu os valores cobrados por profissionais credenciados para que realizam testes de aptidão psicológica e da capacidade técnica para o manuseio da arma. Hoje, o teto para os psicólogos é de R$ 240 e o exame técnico é de até R$ 100. Assim, para registrar a arma de fogo o cidadão gastará no máximo R$ 400. Antes da edição da MP, esse valor chegava a R$ 800.



Com as mudanças o governo federal quer possibilitar aos proprietários de armas a regularização de sua situação e impedir que eles incorram em crime por posse ilegal de armas, cuja pena varia de um a três anos de prisão, mais multa.



Atualmente existem 4,38 milhões de armas registradas no Sinarm. Desde que o Estatuto do Desarmamento entrou em vigor, em dezembro de 2003, pouco mais de 400 mil tiveram o registro renovado. As cerca de 500 mil armas entregues voluntariamente pela população na Campanha do Desarmamento foram destruídas pelo Exército.



A lei determina a obrigatoriedade da renovação do registro a cada três anos. A Polícia Federal não tem estimativa de quantas armas estão na ilegalidade, mas entende que o novo prazo e a redução das taxas vão incentivar o recadastramento.

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
Últimas notícias
Scroller Top
Terça, 24 de Janeiro de 2017
Segunda, 23 de Janeiro de 2017
20:53
Loteria
09:00
Maternidade
Domingo, 22 de Janeiro de 2017
10:00
Receita do dia
Sábado, 21 de Janeiro de 2017
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)